Clique e Assine a partir de R$ 3,90/mês
Gilberto Ururahy Por Gilberto Ururahy, médico Especialista em medicina preventiva

Nova pesquisa do IBGE alerta sobre saúde do brasileiro

Dados sobre obesidade, depressão e consumo de álcool são preocupantes

Por Gilberto Ururahy Atualizado em 3 dez 2020, 11h59 - Publicado em 2 dez 2020, 15h11

O IBGE acaba de divulgar dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada em todo Brasil em 2019 e alguns números são alarmantes. O percentual de pessoas obesas em idade adulta no país mais do que dobrou em 17 anos, indo de 12,2%, entre 2002 e 2003, para 26,8%, em 2019. No mesmo período, a proporção da população adulta com excesso de peso passou de 43,3% para 61,7%, representando quase dois terços dos brasileiros.

A pesquisa também quis saber sobre os hábitos de consumo de bebidas alcóolicas da população e a conclusão também foi surpreendente: 26,4% dos brasileiros adultos afirmaram ter bebido semanalmente em 2019 contra 23,9% em 2013. A consulta do IBGE comprovou o que já observamos em nossas clínicas, um crescimento de 4,1% do consumo entre as mulheres, levando a um salto de 12,9% para 17%. É importante ressaltar que o consumo de bebida alcoólica, de forma moderada e responsável, não oferece risco grave à saúde. No entanto, se tais precauções forem extrapoladas, há o perigo iminente de doenças hepáticas, neurológicas e cardíacas.

O IBGE também coletou informações sobre a saúde mental do brasileiro: 10,2% das pessoas com mais de 18 anos receberam diagnóstico de depressão contra 7,6% em 2013. Ao todo, 16,3 milhões de pessoas têm depressão diagnosticada.

As estatísticas sobre depressão, obesidade, consumo de álcool são alarmantes se considerarmos que elas se referem a um período anterior à atual pandemia, quando muita gente passou a beber mais, se exercitar menos, padeceu de transtornos mentais e negligenciou os cuidados com a saúde. Portanto, não é exagero supor que esses números só tenham aumentado consideravelmente no último ano.

No entanto, a pesquisa revela uma boa surpresa: uma queda de 2,1% de fumantes, uma redução de 14,9% para 12,8%, o que comprova uma maior conscientização da população acerca dos malefícios do cigarro. Ainda assim, o número de fumantes é alto: 20,4 milhões de pessoas maiores de 18 anos consumiram produtos derivados de tabaco, fumado ou não fumado, de uso diário ou ocasional.

A pesquisa do IBGE reitera o que defendemos há 30 anos: saúde é prevenção. Manter um estilo de vida saudável com a prática de exercícios físicos regulares, consumo moderado de bebidas alcoólicas, um sono reparador, alimentação equilibrada e realização de exames preventivos é a maneira mais segura e eficiente de adquirir qualidade de vida.

Gilberto Ururahy é médico há 40 anos, com longa atuação em Medicina Preventiva. É diretor da MedRio Check-up, líder brasileira em check-up médico. É detentor da Medalha da Academia Nacional de Medicina da França e autor de três livros: “Como se tornar um bom estressado” (Editora Salamandra), “O cérebro emocional” (Editora Rocco) e “Emoções e saúde” (Editora Rocco).

 

Continua após a publicidade
Publicidade