Quando comemos é tão importante quanto o que comemos?

Estudos recentes sugerem que restringir a alimentação a um período de tempo pode ser tão importante quanto o tipo de alimento que comemos

O nosso relógio biológico tem uma importante influência para saúde

O nosso relógio biológico tem uma importante influência para saúde (Circadian Clock/Reprodução)

A obesidade aumenta muito o risco de disfunções metabólicas, como doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e câncer. Não por acaso, as evidências científicas sugerem que mesmo pequenas quantidades de perda de peso podem trazer benefícios à saúde.

Embora o jejum em dias alternados e a versão 5:2 (leia-se aquele regime em que por duas vezes não consecutivas na semana ingere-se apenas 500 calorias em cada um desses dias) tenham se mostrado eficazes para perda de peso, pesquisas recentes sugerem que indivíduos obesos podem ter dificuldades para manter essas dietas a longo prazo.

A alimentação com restrição de tempo é uma alternativa atraente ao jejum alternativo e ao 5: 2, já que essa dieta permite a alimentação dentro de uma grande janela de tempo todos os dias e não requer qualquer contagem de calorias.

Publiquei um estudo em 2015 que demonstrou a perda de peso no grupo de pacientes que tinha uma dieta liberada sem restrição de carboidratos ou calorias, mas que restringia o tempo de alimentação para o período de 10 horas durante um dia inteiro, ou seja, 24 horas. Neste mês de julho publicamos outro artigo utilizando uma janela de 8 horas e conseguimos também demonstrar os benefícios desta estratégia na perda de peso e redução da pressão arterial sistólica.

Essas pesquisas são as primeiras a sugerir em seres humanos que uma estratégia alimentar sem nenhum tipo de restrição de conteúdo, sem contagem intencional de carboidratos ou calorias, restrita apenas ao tempo em que se come, pode trazer benefícios à saúde, como a perda de peso em adultos obesos. Este tipo de estratégia de dieta também pode oferecer outros benefícios clínicos e metabólicos, a exemplo da redução da pressão arterial sistólica, já citada acima. Apesar dos prós que os levantamentos recentes mostram, é necessário aguardar ensaios controlados randomizados de maior escala e de longo prazo para que conclusões sólidas possam ser alcançadas.

-Como entender o nosso relógio biológico ?

Como a maioria das pessoas, você provavelmente acorda, fica com fome nas refeições e dorme todos os dias na mesma hora (ou quase no mesmo período).Se você já virou uma noite ou sentiu os sintomas de um “jet lag”, sabe que o ciclo do nosso relógio biológico pode ser facilmente interrompido. No entanto, para algumas pessoas, esse desequilíbrio – dificuldade para dormir à noite, fome em momentos estranhos ou fadiga durante o dia – é uma constante.Para este tipo de pessoa, mudanças positivas no estilo de vida como a perda de peso, melhora do sono, a prática regular de exercícios são fundamentais para redefinir o nosso relógio biológico.

Atualmente, eu e minha equipe estamos realizando um estudo mundial, através de um aplicativo em que as pessoas de qualquer lugar do mundo podem se inscrever e participar para que a gente consiga entender cada vez melhor como nosso relógio biológico funciona. Estamos trabalhando para, em breve, lançar a versão em português do nosso aplicativo com a ajuda e orientação do Dr. Fabiano Serfaty. A ferramenta pode ser baixada de graça tanto para IOS quanto para Android no seguinte link: http://www.mycircadianclock.org.

Referências bibliográficas:

1. The Circadian Code. Satchin Panda, PhD
2018 Rodale Books

2. A Smartphone App Reveals Erratic Diurnal Eating Patterns in Humans that Can Be Modulated for Health Benefits. Gill S, Panda S. Cell Metab. 2015 Nov 3;22(5):789-98. doi: 10.1016/j.cmet.2015.09.005. Epub 2015 Sep 24

3. Effects of 8-hour time restricted feeding on body weight and metabolic disease risk factors in obese adults: A pilot study
Kelsey Gabela, Kristin K. Hoddya, Nicole Haggertya, Jeehee Songa, Cynthia M. Kroegera,b, John F. Trepanowskia, Satchidananda Panda and Krista A. Varadya,Nutrition and Healthy Aging 4 (2018) 345–353 345 DOI 10.3233/NHA-170036
IOS Press.

 (Arquivo pessoal/Divulgação)

Satchin Panda, PhD, é professor do Instituto Salk, membro executivo e fundador do Centro de Biologia Circadiana da Universidade da Califórnia, San Diego (EUA). Autor do livro The Circadian Code. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s