Clique e assine por apenas 4,90/mês
Fabiano Serfaty Por Fabiano M. Serfaty, clínico-geral e endocrinologista, MD, MSc Saúde, prevenção, tratamento, dieta, bem-estar, tecnologia, inovação médica e inteligencia artificial com base em evidências científicas

Pílula anticoncepcional masculina se mostra uma realidade promissora

Realizado em 82 homens saudáveis, estudo consistente foi apresentado durante o ENDO 2018, reunião Anual da Sociedade de Endocrinologia americana

Por Fabiano Serfaty - 12 abr 2018, 16h37

Pesquisadores de dois grandes centros norte-americanos realizaram um consistente estudo, duplo-cego e randomizado, ao longo de 28 dias com 82 homens saudáveis em idade entre 18 e 50 anos. Todos eles apresentavam função reprodutiva normal para utilização de undecanoato de dimetandrolona (DMAU) formulado em óleo de rícino com benzoato de benzila (100, 200 ou 400 mg), pó em cápsula (200 ou 400 mg) ou placebo. Além disso, todos foram instruídos a ingerir o remédio com comida.

Para efeito de metodologia, as avaliações farmacocinéticas foram realizadas no primeiro e no último dia do estudo, já as avaliações de segurança do tratamento foram conduzidas duas vezes por semana. Não ocorreram eventos adversos graves.

Embora incipientes e preliminares, esses resultados já podem ser considerados promissores, podendo ser fundamentais para o desenvolvimento de uma pílula masculina. Sabe-se que até hoje a dificuldade em desenvolver um contraceptivo masculino na prática clínica deve-se ao alto potencial de lesão hepática e necessidade de múltiplas tomadas diárias da medicação. Nesse sentido, a droga estudada, o DMAU, representa um avanço – e uma esperança – uma vez que mostrou poder ser administrada uma vez ao dia, além de não ter apresentado efeito colateral significativo durante um mês de tratamento. Sua eficácia e segurança a longo prazo, no entanto, ainda precisam ser testadas em novos estudos clínicos mais longevos.

Referência:
ENDO 2018. March 18, 2018; Chicago, Illinois. Abstract OR15-2

Publicidade