Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Eco Couple Por Tati Lund e Felipe Villela

Cinco metas sustentáveis para 2020

Diminuir o consumo de carne e começar a plantar estão entre as medidas. Seja você a mudança que deseja ver no mundo

Por Tati Lund e Felipe Villela Atualizado em 11 mar 2020, 18h31 - Publicado em 11 mar 2020, 18h29

Fim do carnaval e junto vem aquela sensação de que o ano realmente começou. Hora de voltar à rotina e organizar a vida. Momento ideal para colocar em prática as metas para o futuro.

Quais são os seus planos e desejos para 2020?

Para facilitar a sua vida e torná-la mais sustentável, separamos algumas dicas para você:

1. Diminuir ou cortar o consumo de carne

Unsplash/Divulgação

Já é bem falado o quanto o consumo de carne está relacionado com doenças cardiovasculares e câncer, mas o que isso tem a ver com mudanças climáticas e sustentabilidade?
Uma grande questão é espaço. Segundo o IBGE, no Brasil, existem mais cabeças de gado do que gente, e para cada animal é necessário, em média, 1 hectare de terra.
No país do agronegócio, é importante entender qual é o real valor da carne no prato: para cada R$ 1 milhão de receita da pecuária bovina são gerados R$ 22 milhões em impactos ambientais, principalmente com desmatamento, degradação do solo, perda de biodiversidade, escassez de água e emissão de gases do efeito estufa.

2. Priorizar a compra de alimentos orgânicos de pequenos agricultores locais

Unsplash/Divulgação

O Brasil é um dos países que mais utiliza agrotóxicos no mundo. Um setor que recebe incentivos fiscais do governo e fatura bilhões anualmente. Recurso esse que deveria ser direcionado ao pequeno agricultor rural, pois é ele o responsável por 70% do alimento que chega a nossa mesa.
Uma política fiscal equivocada que promove isenção do veneno, quando deveria conceder subsídios ao alimento limpo. Somente dessa maneira o produto orgânico chegaria com preços mais competitivos para toda a população.
Precisamos de uma transição urgente para uma agricultura justa, saudável e sustentável de verdade. Que valorize a terra, regenere o solo, promova qualidade de vida para o agricultor, fortaleça a economia local e traga saúde para dentro do prato.
É nosso papel como consumidor ativo pensante mudar esse cenário. É mais simples do que parece: se informe sobre o assunto, se engaje em redes colaborativas, vá à feira orgânica mais perto da sua casa e aperte a mão do pequeno agricultor.

Continua após a publicidade

3. Ter consciência sobre o seu lixo

Unsplash/Divulgação

Quando a gente pensa em uma vida mais sustentável, o assunto que logo surge é o lixo. Nosso convite é para a reflexão do que é essencial. Porque não diminuir a dependência do plástico, pensar 10 vezes na necessidade antes de comprar qualquer coisa e reduzir o desperdício?
O que é descartável pra você? Vivemos em um mundo com excesso de estímulo para o novo, moderno e rápido. A gente joga no lixo diariamente milhões de embalagens, eletrônicos e, o mais absurdo, comida.
Gerar menos resíduo para o planeta é a primeira etapa. Depois assumir a responsabilidade sobre o seu lixo. Uma forma inteligente, barata e simples de tratar o lixo orgânico, por exemplo, é a compostagem. Quanto às embalagens, reduza o máximo possível e encontre o ponto de reciclagem mais próximo da sua casa.

4. Comprar menos e doar mais

Unsplash/Divulgação

O que você pensa quando falamos de moda sustentável? Peças feitas com tecidos ecologicamente corretos, produzir a própria roupa ou viver com poucos itens no armário? Sim todas essas opções são maravilhosas, mas por aqui queremos descomplicar e falar de algo bem mais simples! Primeiro de tudo, reduzir o consumo excessivo e entender essa necessidade maluca que temos de comprar desenfreadamente. Segundo, cuidar do que se tem. E depois, compartilhar! Trocar roupas e objetos, enfim, passar adiante aquilo que não nos cabe mais.

5. Comece a plantar

Cecília saraiva/Arquivo pessoal

Plante uma árvore, uma horta comunitária no seu bairro, um canteiro na sua rua ou até mesmo um vasinho na sua casa.
Trazer o verde para dentro dos ambientes urbanos é ponto chave para construção de cidades mais inteligentes e resilientes.
A agricultura urbana representa autonomia alimentar, facilita a distribuição de alimentos, diminui o consumo de agrotóxicos e contribui com o meio ambiente.
Já as árvores são grandes reguladoras do clima e responsáveis por captar gases do efeito estufa. Nós, aqui no Rio, somos muito privilegiados em viver na cidade com a maior floresta urbana do planeta! O contato com a natureza é essencial para um estilo de vida mais sustentável e feliz.

Escolha uma atitude e seja você a mudança que deseja ver no mundo!

Continua após a publicidade
Publicidade