Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Daniela Alvarenga Por Daniela Alvarenga, médica, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

O segredo de beleza de Jane Fonda aos 83 anos

Atriz, homenageada no Globo de Ouro, repete roupa, usa cabelos grisalhos e se torna uma mulher cada vez mais interessante

Por Daniela Alvarenga 4 mar 2021, 15h52

Jane Fonda continua roubando a cena exatamente como sempre fez. Mas agora, aos 83 anos, chama a atenção e os holofotes não apenas pela beleza, mas também por sua postura como mulher, ativista e cidadã. Esta semana, a atriz foi notícia no mundo inteiro ao receber um dos prêmios mais importantes do Globo de Ouro, o Cecil B. DeMille, que celebra artistas que contribuíram de forma significativa com suas carreiras para a cultura e o entretenimento.  

Belíssima, ela vestiu um terninho off white tão impecável quanto discreto que nos confirmou o que já sabemos: Jane Fonda mantém o mesmo corpo há décadas. Tudo porque ela repetiu uma roupa usada há 25 anos por ela durante o evento Shape Magazine Awards, e o look continua caindo perfeitamente. Em entrevista para Ellen DeGeneres, a atriz explicou que escolheu um traje “reciclado” porque fez uma promessa há alguns anos de que não compraria mais roupas novas. “Nós gastamos muito dinheiro, compramos tantas coisas para, depois, nos livrarmos delas. Tentamos desenvolver a nossa identidade comprando, não é verdade? Precisamos parar com isso, para com todo esse consumismo”, disse Jane.

Há uma “lenda” que ronda atrizes belíssimas que diz que as bonitas demais envelhecem mal, porque se tornam prisioneiras da própria beleza e passam a vida tentando recuperar o irrecuperável: o auge de sua beleza eternizado nas telonas. E que, ao contrário, as não muito belas acabam envelhecendo melhor. Jane Fonda mostra que não há regras. Ela conseguiu ser lindíssima em cada década: aos 20, aos 30, aos 40, aos 50, aos 60, aos 70 e agora aos 80. “Já fiz cirurgias plásticas, mas fiz questão que mantivessem minhas linhas de expressão. Eu não queria perder minhas rugas – eu só queria tirar as bolsas abaixo dos olhos”, contou em entrevista no tapete vermelho de Cannes, em 2013. 

No Globo de Ouro, ela surgiu com cabelos curtos e grisalhos e maquiagem leve, destacando os olhos. Mostrou como uma mulher vaidosa com mais de 80 anos pode ser deslumbrante sem precisar se descaracterizar com excessos: de maquiagem, de coloração dos fios, de procedimentos clínicos e cirúrgicos. Mulheres da mesma geração dela e que foram igualmente ícones de beleza pesaram um pouco na mão em cirurgias plásticas e preenchimentos. Mas Jane Fonda, não. Ela conseguiu passar dos 80 com uma beleza de aparência natural – sem descaracterizar rosto e corpo. Sabe aquela história de ser a melhor versão possível? Yes, she did. Ela conseguiu. Numa entrevista, em 2016, ela contou: “Sempre disse que queria ajudar a dar um rosto às mulheres mais velhas e isso é muito importante para mim. A minha carreira é agora mais importante do que quando era nova.”

Mas não foi só a roupa e a beleza que me fez escrever sobre Jane esta semana. Fiquei olhando esta mulher belíssima recebendo um prêmio super importante na área dela e admirando a trajetória dela como mulher. Sabe quando a mulher faz tudo certo no conjunto da obra? As escolhas têm coerência e ela parece realmente querer evoluir como pessoa a cada etapa como se não se contentasse em apenas ser uma excelente atriz com uma carreira incrível. Perto de fazer 80 anos, ela revelou em uma entrevista que as limitações físicas da idade não podem te definir e contou o que ao fazer 60 anos começou finalmente a entender quem ela era, quando se tornou “jovem de novo”.

Ao olhar para ela é possível entender o significado da palavra maturidade. Hoje ela é uma ativista assídua que luta com coragem por questões ligadas à mudanças climáticas e feminismo – já foi presa, inclusive, por seus protestos –, além de integrar diversas organizações pela equidade de gênero e meio ambiente e ser a fundadora da Jane Fonda Fund for Women Directors, que apoia a restauração de filmes dirigidos por mulheres do mundo todo. “Seu talento inegável rendeu a ela o mais alto nível de reconhecimento. (…) Embora sua vida profissional tenha dado muitas voltas, seu compromisso inabalável de provocar mudanças permaneceu”,  disse o presidente da organização que realiza o Globo de Ouro, Ali Sar.

Jane sabe seu poder de influenciar pessoas e autoridades. Escolheu não descansar. Poderia, se quisesse, apenas usufruir de uma carreira de sucesso e dos direitos autorais dos seus vídeos de ginástica, que foram febre nos anos 80. Mas ficar mais velha a tornou ainda mais engajada e talvez seja um dos seus segredos de ter uma imagem tão jovem mesmo aos 80. Além claro, do que considera ser seu maior segredo de beleza: “ter boa postura”.

 

Continua após a publicidade
Publicidade