Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Bruno Chateaubriand Por Bruno Chateaubriand, jornalista

Vai ter Rock in Rio, bebê

Festival anuncia evento de debates digitais que acontece em setembro com 200 personalidades

Por Bruno Chateaubriand Atualizado em 13 jul 2021, 18h55 - Publicado em 13 jul 2021, 11h15

Ao longo de quatro dias, o Rock in Rio Humanorama vai ser palco de entretenimento e diálogo entre vozes diversas do Brasil e Portugal, disponibilizando na plataforma do evento (rockinriohumanorama.com). Serão oitenta horas de conteúdos ao vivo e gravados, traduzidos em linguagem de libras, com foco no desenvolvimento do ser humano. Essa foi a fórmula encontrada pelos organizadores do festival para 2021, ano em que o festival foi cancelado em função da pandemia. Nestas conversas, em que o foco será levar informação para a transformação de um mundo melhor, participarão nomes bem conhecidos do público, de diferentes áreas de atuação, que compõem o “lineup” deste festival. Estão, já, confirmados o músico Gabriel o Pensador, a cantora Marisa Liz, a monja de ascendência portuguesa Monja Coen, o ator e humorista Fábio Porchat, a apresentadora Isabel Silva, a ativista Carolina Salgueiro Pereira, o artista Alok, o jornalista e compositor Nelson Motta, Sara Rocha, escritora Martha Medeiros.

Um novo projeto que nasce da junção do sufixo “orama” (do grego “hórama”, que significa “vista; descortinar de; espetáculo”) com a palavra “humano”, traduzindo-se em “espetáculo do humano”. Assim é o Rock in Rio Humanorama, um festival de conversas totalmente digital, gratuito e inclusivo, que se realiza entre os dias 14 e 17 de setembro e que procura abrir espaço a novas perspectivas e visões sobre alguns dos temas mais complexos da sociedade, explorando diferentes aspetos do ser humano e a sua capacidade de autorreflexão e de se relacionar com os outros.

“O Rock in Rio Humanorama surge para inspirar, provocar reflexões, estimular a aprendizagem e explorar a relação com o próximo, que nos torna mais humanos. O projeto une cidades, países juntando-nos numa das alturas em que o ser humano precisa, mais do que nunca, de olhar para si, para nós e para a sociedade como um todo”, explica Agatha Arêas, Vice-Presidente de Learning Experience do Rock in Rio, que completa: “Será um projeto de capacitação intelectual e um convite à quem quer construir um mundo melhor”.

Assim como acontece ao entrar na Cidade do Rock, também no Rock in Rio Humanorama o público vai poder escolher os conteúdos a que quer assistir, entre quatro “palcos” principais. Estes palcos são, na verdade, canais acessíveis através da plataforma do evento – “Sou”, “Nós”, “Somos” e “Experiências de Aprendizagem” – dedicados ao conhecimento e desenvolvimento das capacidades do ser humano para a construção de um futuro melhor e mais humano. O canal “Sou” foca na sustentabilidade individual e no autoconhecimento; o canal “Nós” explora as relações interpessoais, o poder do coletivo e da colaboração; o canal “Somos” aborda o universo do impacto social e a relação com o meio ambiente, explorando temas como a cidadania ativa, economia sustentável, criação de valor, entre outros; e o canal “Experiências de Aprendizagem” será o epicentro dos workshops práticos, liderados por professores e especialistas que abordarão as três temáticas dos restantes canais.

Continua após a publicidade

Publicidade