Clique e assine por apenas 4,90/mês
Bruno Chateaubriand Por Bruno Chateaubriand, jornalista

Quarentena: Dicas para manter a pele saudável

“O aumento do consumo de álcool durante a quarentena pode desencadear dermatites”, alerta a dermatologista Denise Barcelos

Por Bruno Chateaubriand - Atualizado em 13 Maio 2020, 18h10 - Publicado em 12 Maio 2020, 13h11

A médica dermatologista Denise Barcelos fez uma análise nesse momento de Quarentena sobre temas como: Acne, queda de cabelo e dermatites.

Acne

O aumento do cortisol pelo estresse e ansiedade, pode ser uma das principais causas para o aparecimento de espinhas nessa quarentena, mas o abandono dos produtos de pele, uma alimentação inadequada, em que tem prevalecido alimentos refinados, processados e ricos em gordura também precisam ser considerados.

Queda de cabelo

É a antena parabólica de todos as nossas altercações metabólicas ou emocionais. A ansiedade está influenciando na queda de cabelos. Caso não se tenha cuidado, muita gente poderá ficar careca. A diminuição dos nutrientes na dieta, levando em conta o aumento da oleosidade e descamação couro cabeludo, irregularidade no sono, também podem ser associados a causa.

Dermatites

É verdade que ficar em casa nessa situação, acaba gerando uma certa “preguiça” nos cuidados e a falta da hidratação da pele, acaba gerando muito ressecamento e todo ressecamento pode levar o desenvolvimento de dermatites no corpo, com quadros de muita coceira. Somado à isso, o aumento do consumo de álcool, a diminuição da ingestão de água são fatores que podem aumentar a incidência de dermatites pois aumentam o ressecamento da pele.

Portanto, a principal dica é manter sua rotina de cuidados com a pele, com uma alimentação equilibrada, meditação, uma boa noite de sono e rotina de exercícios físicos em casa. A ansiedade do momento se torna uma grande vilão da saúde de todos.

Continua após a publicidade
Publicidade