Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Bruno Chateaubriand Por Bruno Chateaubriand, jornalista

Crise: “Com o auxílio do governo interrompido, a única saída foi enxugar”

Empresário do setor de eventos relata corte gigantesco

Por Bruno Chateaubriand Atualizado em 14 Maio 2021, 13h59 - Publicado em 13 Maio 2021, 19h32

Arthur Ferreira é tido como um dos principais nomes do setor de eventos do Rio de Janeiro. Desde 2010, sua empresa é conhecida por estruturar palcos e toldos nos mais diversos cenários da cidade. “Tivemos que demitir nossos sessenta funcionários. Estamos contratando apenas freelancers“, conta o empresário que, em meio à pandemia, vem buscando alternativas e soluções para que seu negócio continue a funcionar. No tradicional mês das noivas buscamos o relato desse profissional:

“Trabalhar com eventos nesse momento foi e ainda está sendo desafiador. Quando a pandemia começou, a Lonarte tinha um quadro de funcionários de 60 pessoas e vinha de um ano de crescimento relevante, com expectativas altíssimas para o futuro. Pouco sabíamos sobre essa doença e esperávamos que a paralização não durasse por muito tempo, mas os meses foram passando e nós sabíamos que a nossa área não tinha muita perspectiva de retorno.

Nosso papel no setor de eventos e festas é a parte estrutural e, com isso,  nosso maior desafio foi nos adaptar e nos reinventar em meio a essas incertezas. Após algumas tentativas, nos vimos obrigados a aderir ao programa de auxílio do governo e então, suspender  contratos de toda a empresa. Tínhamos a esperança de que quando retornasse, conseguiríamos retomar as atividades exatamente como e de onde paramos.

No meio do caminho, alguns eventos menores começaram a ser liberados e nos permitiram seguir o trabalho mesmo que em um fluxo menor ao que estamos acostumados. Até que tudo foi novamente suspenso e infelizmente não foi possível segurar as pontas. Após sete meses o , mantendo um número bem reduzido de funcionários apenas para organização do nosso espaço para o tão esperado retorno.

Aí, a notícia da vacina veio e ficamos esperançosos de novo. E agora a única certeza que temos é que enquanto esse pesadelo finalmente se aproxima (mesmo que lentamente) do fim, nós estamos aqui preparados para receber os pedidos daquela galera que está sedenta pelas comemorações que não puderam acontecer nesse período. Aguardamos ansiosos pela loucura da volta”.

Arthur Ferreira e Carolina Almeida – donos da Lonarte eventos.

Continua após a publicidade
Publicidade