Clique e assine por apenas 3,90/mês
Bel Kutner Por Bel Kutner, atriz e diretora de teatro

Carta para o amigo Mau

A atriz e diretora de teatro Bel Kutner dedica uma carta a seu amigo

Por Bel_Kutner - Atualizado em 1 set 2020, 16h40 - Publicado em 1 set 2020, 12h21

Querido Mau, meu bem! Que saudades!

Hoje é um dia muito especial, estou mãe debutante. Davi faz 15 anos. Já pedi para dançar uma valsa e levei um sonoro não. Ele está nostálgico. Deixar de ser criança não está fácil. Claro que me ver falando sobre isso há dias e remexendo em fotos, organizando pastas e mais pastas de exames obsessivamente, deve ter afetado seu humor. E um excesso de beijos e apertos e exclamações por ele estar grandão, lindão, forte…Estou repetindo tudo que me dava vergonha da minha mãe : Os exageros. Mas são muitas emoções contraditórias. Quero que ele cresça, que tenha o máximo de autonomia possível para que possa ter muitas experiências na vida, mesmo sabendo que não devo criar expectativa nenhuma já que o autismo traz muitas limitações. Ao mesmo tempo tenho curtido coisas do cotidiano com ele, e já tenho saudade do bebê que cresceu. E claro que está preocupado com a pandemia, ele entende tudo. E está mudando a voz, desafinando muito engraçado. Transita entre passa foras e eu te amos. Um adolescente e uma geminiana quarentenados é muita oscilação.

Esse isolamento está me deixando numa entropia…Sou muito social, você sabe, preciso de gente! Me sinto numa jaula. As tarefas domésticas me dando gastura, coisa que nunca foi um problema. O que é uma cretinice da minha parte, pois vivo com espaço, conforto, segurança (acho), e fico culpada por estar tão irritada. Ainda mais com a falta de noção dos que se aglomeram como se nada houvesse e do desgoverno geral. Mas acabei me reaproximando das pessoas e coisas fundamentais da minha vida. Dos livros, da fé, das lembranças boas e dos grandes amigos, como você. Nossos anos juntos, em São Paulo, foram os melhores! Ah, Sampa meu amor…

Muito boa a série que indicou. Demorei a acabar por nervoso de ver os animais presos, explorados, maltratados. Mal sabia eu que o terror era em outra esfera: “O Homem é o lobo do Homem”. Pobres lobos. Na verdade pobres felinos. “A Máfia dos Tigres” é o maior sucesso aí nos Estados Unidos, aqui nem sei. Só sei que fiquei obcecada com as personagens. E agora vamos brigar! Carole pode não ter matado o marido. Minha teoria é que o infeliz foi atacado por um dos gatinhos. O crime dela foi acobertar o corpo servindo-o no jantar. Tudo para proteger os animais, e claro, seu empreendimento milionário. Nunca saberemos.

Esperando para ver o filme. O mundo real tem superado qualquer dramaturgia. Nem preciso dizer que o que temos visto por aqui consegue ser ainda mais bizarro. Mãe que casa com filho e se une a ex-nora que é filha também, para envenenar e assassinar o pai dos próprios netos… E com fanatismo religioso no meio. Deu pra entender? Puxado.

Por falar em psicopatas, boa sorte nas eleições daí! Com certeza vão influenciar nossos destinos aqui pelos trópicos. Se puder leia “Os engenheiros do Caos: Como as fake News, as teorias da conspiração e os algoritmos estão sendo utilizados para disseminar ÓDIO, MEDO e influenciar ELEIÇÕES “, de Giuliano Da Empoli. O subtítulo já diz tudo. É chocante. Somos todos gado.

Espero ansiosamente por notícias, de preferência boas!

Que não nos falte saúde e alegria.

Yours forever.

Continua após a publicidade
Publicidade