Clique e assine por apenas 3,90/mês
Beira-Mar Por Blog Notícias sobre celebridades, famosos, sociedade e pessoas interessantes do Rio de Janeiro

Rock in Rio 2017: Flávia Alessandra fala sobre sexo e música

Leia na coluna Beira-mar

Por Daniela Pessoa - Atualizado em 24 set 2017, 22h21 - Publicado em 24 set 2017, 21h54
flavia alessandra rock in rio 2017
Maria de La Gala/Veja Rio

Seja onde for, o público pira quando vê o casal Flávia Alessandra e Otaviano Costa. Não foi diferente no Rock in Rio 2017. Juntos há 11 anos, eles são um exemplo de amor , respeito e companheirismo para muita gente, especialmente os fãs, que vira e mexe criam hashtags amorosas para os pombinhos na internet. “Para manter a chama acesa, a gente reserva pelo menos um dia da semana para se curtir e fazer um programa só nosso, como ir ao cinema ou jantar. E nunca deixamos de trocar nudes um com o outro”, entregou Flávia a VEJA RIO, neste sábado (23), no aquário montado no estande da Niely na Cidade do Rock, enquanto pedia ao empresário para gravar vídeos mostrando o assédio dos fãs através do vidro.

Sobre os nudes, no entanto, a atriz fez questão de deixar um recado para as mulheres: “Se você não curte a ideia, não precisa se obrigar a isso. Não é uma imposição. A sociedade costuma ter essas regras ou modinhas que as pessoas precisam seguir, mas, se você não se sente bem enviando um nude, se essa não é a sua praia, não o faça. Acima de tudo, temos que nos sentir bem com nós mesmas”.

Contagiada pelo espírito do Rock in Rio, Flávia comentou ainda sobre sexo ao som de música. “Tem uma playlist no Spotify que a gente adora, e de vez em quando coloca. Chama-se Love, é mais romântica”. E completou: “Mas, se você quer um sexo mais rock n’ roll, aí tem que apostar numa linha mais pesada. O legal é que a música já indica o clima do dia, se vai ser mais amorzinho ou selvagem”.

Flávia estava, de fato, bastante empolgada com o festival. A artista esteve duas vezes na Cidade do Rock, a primeira na quinta (21), quando levou  a filha de 6 anos para se divertir ao som da banda Aerosmith, e a segunda no sábado (23). “É um Rio de Janeiro que dá certo, que a gente tem orgulho. Nesses tempos difíceis que vivemos, estar aqui é uma injeção de ânimo”.

 

Continua após a publicidade
Publicidade