Padre Omar pede socorro para o Cristo Redentor

Reitor do monumento demonstra preocupação com o caixa do icônico ponto turístico carioca. Aos números

A Arquidiocese do Rio acaba de fechar contrato com a Fecomércio para ajudar na manutenção, restauração e iluminação do Cristo Redentor. Ainda assim, o padre Omar Raposo, reitor do monumento, demonstra preocupação com o caixa. O saldo no momento é de 1,7 milhão de reais, praticamente um terço do gasto anual previsto para o santuário, no valor de 5 milhões. “No passado, já tivemos seis patrocinadores, mas agora o cenário de captação de recursos está muito complicado. E olha que tenho visitado três empresas por semana”, lamenta o pároco, que também tem batalhado em Brasília pelo direito a uma parcela da bilheteria do Corcovado. “Na hora de venderem o Rio e o Brasil para o mundo, o Cristo é garoto-propaganda. Quando ele está de braços abertos pedindo ajuda, todos somem”, desabafa.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s