Chef Morena Leite inaugura restaurante de culinária brasileira-chique, e avisa: “Não sou do time da Bela Gil”

Será a estreia dela por aqui. Formada pela Le Cordon Bleu, em Paris, a chef Morena Leite, 35 anos, paulista, mas criada na Bahia, vai assinar seu primeiro cardápio no Rio. Na quinta (28), a dona do restaurante Capim Santo, com endereços em São Paulo e Trancoso, inaugura no Hotel Grand Mercure, na Barra, o […]

Fernando-Moraes

A chef Morena Leite: “Não sou do time da Bela Gil” (Crédito: Fernando Moraes)

Será a estreia dela por aqui. Formada pela Le Cordon Bleu, em Paris, a chef Morena Leite, 35 anos, paulista, mas criada na Bahia, vai assinar seu primeiro cardápio no Rio. Na quinta (28), a dona do restaurante Capim Santo, com endereços em São Paulo e Trancoso, inaugura no Hotel Grand Mercure, na Barra, o Í Bistrô, sobre o qual falou à coluna.

Como será o seu primeiro menu carioca? Brasileiríssimo. É baseado nas receitas dos cinco biomas do país: mar, montanha, floresta, sertão e cerrado. Particularmente, adoro tapioca e quinoa, mas estou longe de ser natureba. Não sou do time da Bela Gil, que substitui tudo por linhaça (risos).

Você trabalha com vários ingredientes nacionais e técnicas francesas, o que lembra muito a cozinha franco-carioca do Claude Troisgros… Ele é uma grande referência para mim. É um chef que faz tudo com carinho, e acredito que essa energia vai para a panela. Nos meus restaurantes, antes de começarmos o expediente, damos as mãos e rezamos.

Você já preparou jantares para ex-presidentes, como Lula e FHC. Alguém já a deixou de pernas bambas? Não, baiano é ousado! A Mariana Ximenes virou até madrinha da minha filha e grande companheira gastronômica. Dia desses, em Nova York, experimentamos dez menus degustação em 72 horas. Ela come o dobro do que eu como.

LEIA MAIS NA COLUNA BEIRA-MAR DESSA SEMANA:

+ O segredo de Luana Piovani para recuperar a boa forma após gravidez de gêmeos

+ Curador holandês responsável por uma das mostras mais vistas no mundo leva Mondrian ao CCBB

+ Ex-panicat Juju Salimeni fala sobre estreia (e fantasia) no Carnaval carioca: “Já deixei meu legado em São Paulo”

+ Giovanna Grigio dá vida, em novela, a história real e trágica vivida pelo autor Walcyr Carrasco

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s