Clique e assine por apenas 7,90/mês
Beira-Mar Por Blog Notícias sobre celebridades, famosos, sociedade e pessoas interessantes do Rio de Janeiro

A estilista de moda que virou queridinha das famosas neste verão

“Costuro para mulheres chiques e com bossa, não para as farofeiras que andam de chinelo e estendem canga na praia”, diz Adriana Degreas

Por Daniela Pessoa - Atualizado em 21 mar 2018, 15h13 - Publicado em 16 mar 2018, 17h00
Isis Valverde - biquíni - adriana degreas
Instagram/Reprodução

Radicada em Miami há quatro anos, a estilista Adriana Degreas, que já vestiu de Gisele Bündchen a Naomi Campbell com seus biquínis, caiu no gosto das celebridades do Rio neste verão. Isis Valverde, Bruna Marquezine e Preta Gil usaram inclusive o mesmo exemplar na temporada: um modelo cortininha de cor laranja. “Outro dia, a Bruna comprou a nossa loja inteira no Village Mall. Eu não dou peças de presente a ninguém, senão perde a graça e tira o desejo”, afirma Adriana, que se inspira na elegante Andréa Dellal, ex-modelo carioca, quando cria suas coleções de luxo. “Costuro para mulheres chiques e com bossa, não para as farofeiras que andam de chinelo e estendem canga na praia.” A apresentadora Angélica, a propósito, é outra cliente assídua de Adriana, que criticou o atual beachwear sem graça do Rio: “A cidade perdeu sua vocação no ramo. Os estilistas agora só fazem biquínis confortáveis para o banho de sol, e ponto. Zero glam”, lamenta.

ATUALIZAÇÃO (21/03/18):

Após repercussão da nota, a estilista Adriana Degreas enviou uma carta a VEJA RIO:

“Fui procurada por VEJA RIO para falar sobre as minhas inspirações, pela minha relação com a cidade e por ser apontada como uma marca muito usada pelas celebridades cariocas neste verão. Conversei com a jornalista por telefone, e ao abrir a revista tive a desagradável surpresa de ver que minhas palavras haviam sido distorcidas e colocadas de forma a gerar fofoca e polêmica. Não defino minha marca como excludente e nunca usei palavras como “farofeira”, que, inclusive, não pertence a meu vocabulário. Achei a linguagem empregada vulgar e de mau gosto, retratando uma imagem antipática, que não corresponde a minha essência ou à de minha marca. Tenho profundo respeito por minhas clientes, do Rio, do Brasil e do exterior, famosas ou não, e venho acompanhando com muito orgulho minhas peças serem usadas por mulheres incríveis nas praias cariocas.”

Publicidade

 

Publicidade