Clique e assine por apenas 4,90/mês
Barbara Burgos Por Barbara Burgos, astróloga

Os astros e a quarentena

Jupiter, Saturno e Plutão, famosos contadores do Tempo, pedem para que olhemos para dentro durante este período para que uma visão coletiva possa emergir

Por Barbara Burgos - Atualizado em 13 Maio 2020, 18h07 - Publicado em 30 mar 2020, 19h05

Dói. Mas passa. Há dias em que a angústia e a incerteza invadem a alma e, sim, está tudo bem assim.

Está tudo bem em não ter ânimo para fazer yoga na sala, aprender francês e fazer trabalho manual. Tudo bem em se sentir sobrecarregado de informações, lives e dicas de todas as espécies. Aqui e agora não é hora de se julgar, se sentir culpado por não estar produzindo a mil por hora. Ninguém está exigindo isso de você!

As pessoas fazem o que podem com o que têm e, no momento, o que temos é um grande vazio. Vazio da falta de abraços e beijos, do filho que você não pode amassar de tanto amor, da sua mãe por quem você deve zelar e, por conta disso, precisa manter distância. Dói. Mas passa.

Para quem está produzindo a mil e está p… da vida, não pense que o seu ano está perdido. Não pense que seus planos foram por água abaixo, que foi tudo em vão. Ainda nos encontramos aqui, nesta Terra que agora se cura, para crescermos e evoluirmos. Neste momento, o dinheiro ganha outro sentido e a nossa vida é feita de eletricidade e contatos virtuais. A vida é feita do coletivo.

Continua após a publicidade

Marte e Saturno agora em Aquário reforçam este conceito esta semana, são planetas inflamatórios e, aguerridos em conjunção, mostram os limites que o excesso pode impôr. Quando a gente se depara com esta energia tensa e intransigente, teimosa e algumas vezes rebelde, é necessário voltar-se para dentro de si e perceber o que teima em permanecer o mesmo.

Em não ver que o mundo mudou e você também precisa se adaptar. Qual parte de você encontra ressonância em um discurso individualista. Esta possivelmente é a maior lição desta semana, mas não é a única. A intuição e a coragem também darão as caras com Júpiter conjunto Plutão, onde o primeiro mergulha a lança nas profundezas plutonianas, trazendo (ainda mais) coisas à tona, pedindo que você se posicione e comece (ou continue) a desenhar um plano de ação. Onde há tensão, também há dissolução de paradigmas. Lembre-se disso e não esmoreça! Dói. Mas passa.

Beijos virtuais e abraços apertados 

Barbara Burgos é astróloga.

Publicidade