Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Rede TV! processa Tatá Werneck por piada no Prêmio Multishow

Emissora afirma ter sofrido "ataques gratuitos" e pede indenização de 50 000 reais; para Ricardo Brajterman, advogado da apresentadora, processo é "um mico"

Por Cleo Guimarães Atualizado em 29 dez 2020, 14h21 - Publicado em 28 dez 2020, 12h10

Uma piada feita por Tatá Werneck durante a transmissão do Prêmio Multishow, em novembro, irritou a cúpula da Rede TV!, que entrou com um processo contra a apresentadora. A emissora pede 50 000 reais de indenização por danos morais e se diz vítima de “ataques gratuitos” por parte de Tatá. Mas, afinal, o que ela disse que deixou Amílcare Dallevo e Marcelo de Carvalho, seus donos, tão indignados?

Casal Garotinho protagoniza vídeo que… não tem como definir; assista

A apresentadora falou, ao vivo: “Gente, não repare, eu vim de moto direto, entendeu? Eu vim assim. Peguei no varal, tá molhada ainda. Isso aqui é o orçamento de uma grade da Rede TV!. Pelo amor de Deus gente, não quero que vocês reparem. Eu vim assim. Peguei no varal, tá molhada ainda. Isso aqui é o orçamento de uma grade da RedeTV!. Pelo amor de Deus gente, não quero que vocês reparem”.

No processo, ao qual VEJA RIO teve acesso, a emissora afirma ser possível ver, “de forma cristalina”, que a ré (Tatá) “faz chacota ao associar, de forma descabida”, a qualidade e capacidade financeira da Rede TV! “à qualidade de sua vestimenta”. No texto, o canal diz ainda que aceita críticas, mas o “que fez a ré foi um ataque gratuito e sem fundamento, cujo único intuito é o de macular a imagem da autora (RedeTV!)”.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Ricardo Brajterman, advogado de Tatá Werneck, classifica a ação como “o maior mico” da Rede TV!. “Logo eles, que já tiveram o Pânico humilhando centenas de pessoas”, disse Brajterman a VEJA RIO. “Não sei como a emissora embarcou nessa aventura judicial contra a Tatá, por conta de uma fala que, diferente da atuação do Pânico, não tem ofensa, agressividade, discurso de ódio ou de segregação. Parece que Rede TV ou está desesperada por dinheiro, ou quer aparecer na mídia utilizando a imagem de pessoas de bem como a Tatá, pessoa tão generosa, que certamente doaria os 50 000 pedidos no processo para ajudar o canal.”

Continua após a publicidade
Publicidade