Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Marcius Melhem: os escabrosos detalhes do assédio a Dani Calabresa

Diretor teria imobilizado a humorista e tirado o pênis para fora numa comemoração, segundo reportagem da Piauí; "Quem mandou você estar muito gostosa?"

Por Cleo Guimarães 4 dez 2020, 12h56

A primeira vez foi numa festa de confraternização da Globo. Dani Calabresa estava num palco de karaokê e o diretor Marcius Melhem tentou beijá-la à força. Não conseguiu (ela se desvencilhou), mas também não desistiu. Na mesma noite, a esperou na porta do banheiro – um clássico da cafajestagem – e partiu para cima. Tentou agarrá-la de novo. Daí para frente, o que aconteceu, segundo reportagem de João Batista Jr. na revista Piauí sobre os bastidores do caso de assédio moral e sexual na emissora, foi um show de horrores.

“Ela reagiu, bateu com a parte traseira da cabeça na parede e pediu que Melhem a deixasse passar. Em vão. Com uma das mãos, ele imobilizou os braços da atriz. Com a outra, puxou a cabeça dela para forçar um beijo. Assustada, Calabresa cerrou os lábios e virou o pescoço, mas Melhem conseguiu lamber o rosto dela. Em seguida, tirou o pênis para fora da calça. Enquanto a atriz tentava soltar os braços e escapar da situação, acabou encostando mão e quadris no pênis de Melhem. Ao reencontrar os colegas no salão, Calabresa teve uma crise de choro. Os atores Luis Miranda e George Sauma ofereceram a ela um copo d’água e confortaram a amiga”.

Zé Pelintra pode virar patrimônio cultural do Rio

O caso aconteceu em 2017 e somente no final de 2019 Dani se sentiu preparada para procurar o compliance da emissora e denunciar Melhem. Depois dela, outras atrizes buscaram o mesmo canal para relatar fatos semelhantes. De acordo com o que relataram, o modus operandi era o mesmo: tentativas de agarrar à força, mensagens inconvenientes e ambiente tóxico de trabalho. Melhem acabou afastado do cargo em agosto de 2020, oito meses depois da denúncia. A emissora, no entanto, silenciou-se sobre o assunto e afirmou que ali se encerrava uma “parceria de sucessos”.

A reportagem também conta que, alguns dias depois da abordagem em que chegou a colocar o pênis para fora, Melhem apareceu no estúdio para conversar com Calabresa – algo que não acontecia com frequência. Ele teria dito: “Não tenho culpa do que aconteceu! Quem mandou você estar muito gostosa?” A atriz teria rejeitado as desculpas do chefe. “Você já me agarrou, lambeu minha cara e encostou o pau em mim”. Há testemunhas nas duas situações, afirma a revista.

Covid-19: Rio tem a maior taxa de mortalidade do país, segundo Fiocruz

A denúncia de Calabresa foi levada à chefe de Desenvolvimento e Acompanhamento Artístico da Globo, Monica Albuquerque e, segundo a revista, a primeira atitude foi a de recomendar a Melhem que buscasse um terapeuta. Nada além. Nenhuma penalidade ou advertência. Somente quando o caso chegou a Carlos Henrique Schroder, diretor de entretenimento, esporte e jornalismo, deu-se início a uma investigação interna. Novos  casos foram revelados – três atrizes citaram situações em que Melhem roçava o pênis ereto nelas.

Continua após a publicidade

Fátima Bernardes: mais de 700 mil pessoas se solidarizam nas redes

Melhem decidiu não dar entrevista para expor sua versão dos fatos porque alega que “a sentença” do caso “já estava dada”. Também disse que teria o direito de saber quem são as pessoas que o acusam. “Estou disposto a assumir qualquer erro ou dano que tenha causado. Mas é preciso que a conversa seja transparente, sem mentiras”. Ele ainda afirma à Piauí que vai “buscar justiça”.

O assunto foi o mais comentado no Twitter na manhã desta sexta (4), e o tom dos comentários dos internautas é, em sua maioria, de revolta. Colegas de Calabresa, como Fábio Porchat, também se manifestaram: “Não passarão! Parabéns às mulheres que tiveram força e coragem para denunciar“, escreveu. Felipe Andreolli, ex-CQC e atualmente na Globo, também se pronunciou, veja abaixo:

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Publicidade