Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Letícia Spiller pede desculpas por elogio a Marcius Melhem

Atriz havia dito que diretor da Globo 'tem bom coração', e também relativizou a denúncia de assédio sexual contra ele, feita pela humorista Dani Calabresa

Por Cleo Guimarães 10 dez 2020, 16h55

Letícia Spiller postou um longo texto e gravou uma série de vídeos no Instagram para pedir desculpas a Dani Calabresa pelas declarações que fez em entrevista ao canal do YouTube da rádio Play FM, na noite desta terça (8). Aos jornalistas, a atriz disse considerar Melhem “uma pessoa do bem”, além de relativizar a acusação de assédio feita por Dani. Spiller também havia posto em xeque a credibilidade da denúncia, que teria “demorado muito” para ser feita”. Lembre aqui: Xuxa, corre aqui! Letícia Spiller diz que Marcius Melhem ‘virou mártir’

Leia abaixo a íntegra do texto postado pela atriz:

“Gente, preciso vir aqui conversar com vocês. Ontem concedi uma entrevista a uma rádio e preciso esclarecer algumas coisas que são muito graves para mim. Em nenhum momento da minha vida eu apoiei ou apoiaria alguém que cometa atos de assédio, de abuso. E, na dúvida, o meu instinto me leva a acreditar na palavra da vítima, logo de cara. Especialmente se for uma mulher.

Porta dos Fundos: especial de Natal já passa das 270 000 visualizações

Eu acredito e pratico o pensamento de que toda e qualquer vítima precisar ser ouvida, acolhida e respeitada.

Jamais atacaria Dani Calabresa. Jamais colocaria em dúvida os seus relatos, o que ela passou. Se, por algum momento deixei essa impressão, preciso me desculpar! E estou aqui pedindo DESCULPAS. Desculpas ao público que me acompanha, aos meus colegas de trabalhos, às mulheres, às pessoas que passaram por casos de abuso ou assédio. Desculpas à Dani e a todos os envolvidos neste caso, em especial. Eu preciso me expressar aqui de uma maneira que deixe claro o meu posicionamento em relação a esse assunto. E é isso que estou fazendo neste momento.

Continua após a publicidade

Coronavírus: confira lista de 10 artistas infectados recentemente

A gente nunca sabe como vai reagir em determinadas situações extremas. Durante a entrevista, eu disse como eu achava que talvez pudesse me comportar. Mas cada um tem seus motivos e seu tempo para se manter calado ou denunciar. E isso não tira – ou não deve tirar – a culpa de seu agressor.

Sobre o meu comentário em relação a Marcius Melhem, eu o conheci na adolescência. É sobre aquele Marcius que falei. Não temos contato há anos. Assim como muitas pessoas ficaram chocadas com esses relatos, porque são de revirar o estômago, eu também fiquei. E eu espero que todos tenham ficado também, porque são situações de muito sofrimento para as vítimas. E isso tudo só reforça uma dura realidade. O que a gente mais escuta é que agressor não tem cara, não tem rótulo. Aquela pessoa que está ao seu lado, bem-humorada e educada, com sorriso largo e boa conversa, pode ser a pessoa que está fazendo da vida de alguém um inferno.

Criticada pelo silêncio, Globo se posiciona no JN sobre assédio de Melhem

Por isso também que as vítimas se sentem acuadas e com medo de fazer as denúncias. Mais do que nunca, quem está do lado de fora, precisa lutar e criar uma rede de apoio para que as vítimas se fortaleçam, se encorajem. Isso afirmo e reitero.”

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade