Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

‘Feministas têm razão’, diz Chico ao excluir do repertório música pedida por Nara Leão

Compositor fez declaração em documentário sobre a cantora, para quem escreveu 'Com açúcar, com afeto' , em 1967

Por Da Redação Atualizado em 28 jan 2022, 14h10 - Publicado em 28 jan 2022, 14h08

Uma declaração do cantor e compositor Chico Buarque no terceiro episódio da série documental “O canto livre de Nara Leão”, exibida pela Globoplay, tem ecoado nas redes sociais: “Eu não vou cantar ‘Com açúcar, com afeto’ mais e, se a Nara estivesse aqui, ela não cantaria, certamente”. No documentário, Chico explica que a música foi composta a pedido de Nara, em 1967. Na letra, há trechos como “Você diz que é um operário/Sai em busca do salário/Pra poder me sustentar” e outros versos que retratam um amor submisso.

+ Chico Buarque volta ao palco no Show de Verão da Mangueira, em fevereiro

“Ela me pediu a música, ela me encomendou essa música, ela falou ‘Eu quero agora uma música de mulher sofredora’. E deu exemplos de canções do Assis Valente, Ary Barroso, aqueles sambas da antiga, onde os maridos saíam para a gandaia e as mulheres ficavam em casa sofrendo, tipo “Amélia”, aquela coisa. Ela encomendou e eu fiz”, explica o compositor, no documentário. Ele acrescenta que “gostou de fazer” a canção e destaca que na época não havia esse tipo de interpretação crítica aquela personagem feminina — mas defende a mudança de visão e, por isso, decidiu tirar a música de seu repertório:

“É justo que haja, as feministas têm razão, vou sempre dar razão às feministas, mas elas precisam compreender que naquela época não existia, não passava pela cabeça da gente que isso era uma opressão, que a mulher não precisa ser tratada assim. Elas têm razão”, conclui ele, antes de anunciar a decisão de não cantar mais a música. A última vez que Chico fez isso em um show de carreira foi em 1975, com Maria Bethânia. Por meio de sua assessoria, o cantor disse ao globo que “não comentaria seu comentário” na série.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

A cena iniciou um debate que vem pegando fogo nas redes sociais, e o assunto foi para nos temas mais comentados do Twitter. Alguns internautas acreditam que faltou a compreensão de que a letra faz parte de um contexto histórico e que Chico fez um relato fiel sobre o lamento de uma mulher exausta da relação que foi estabelecida a ela.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Saiba tudo o que acontece na Cidade Maravilhosa. Assine a Veja Rio e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da Veja Rio! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

Receba mensalmente a Veja Rio impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado, com Blogs e Colunistas que são a cara da cidade.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

App Veja para celular e tablet, atualizado mensalmente com todas as edições da Veja Rio

a partir de R$ 12,90/mês