Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Mas já? diretora do Hospital de Ipanema sai do cargo antes mesmo de entrar

Defensora do uso da cloroquina no tratamento da Covid-19, Mara Pezzino havia sido nomeada pelo ministro da Saúde um dia antes

Por Da Redação 21 jul 2021, 16h40

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, voltou atrás e revogou, nesta quarta (21), a nomeação de Mara Regina Cordeiro Pezzino como diretora-geral do Hospital de Ipanema. Mara havia sido anunciada no cargo um dia antes, em portaria publicada no Diário Oficial da União. Pediatra e homeopata, a médica é alinhada com o discurso de Jair Bolsonaro – a quem apoia em suas redes -, e uma ferrenha defensora do uso de cloroquina no combate à Covid-19.

Que fase! Yasmin Brunet leva golpe de 8 000 reais ao pedir comida em casa

A Organização Mundial da Saúde (OMS) vem alertando reiteradamente que o medicamento não tem eficácia comprovada contra a doença, assim como a hidroxicloroquina e a azitromicina, pode gerar  efeitos colaterais. O próprio Ministério da Saúde enviou à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia um documento em que salienta que pacientes que sofrem de complicações da Covid-19 não devem ser tratados com estes medicamentos.

A boemia revive: La Fiorentina, no Leme, será reaberto em 10 de agosto

Vinculado ao Ministério da Saúde, o Hospital Federal de Ipanema é referência em pneumologia, dermatologia e infectologia. Procurado por VEJA RIO, o Ministério da Saúde não informou o motivo da revogação da nomeação de Mara para o cargo.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade