Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

‘Estou leve. E na terapia’, diz Dani Calabresa, sobre denúncia de assédio

Humorista rebateu estratégia de defesa de Melhem, que divulgou mensagens íntimas dos dois: 'Não interessa. Ninguém tem o direito de forçar contato físico'

Por Cleo Guimarães 4 mar 2021, 14h26

Dani Calabresa participou do programa “Saia Justa”, nesta quarta (3), e pela primeira vez falou à TV sobre o caso de assédio que teria sofrido de seu chefe à época, o diretor do departamento de humor da Globo, Marcius Melhem. A atriz contou que manter-se ativa profissionalmente foi essencial para que superasse o trauma. “O trabalho me salvou. Eu tenho por que acordar. Eu tenho por que tomar banho. Eu tenho que lembrar quem sou. Os amigos, família, terapia, também. Mas o trabalho foi o que mais salvou“, disse.

‘Quase lockdown’: Paes decreta novas restrições para o Rio; saiba quais

Ela contou também que o medo de sofrer boicotes na carreira fez com que demorasse a tomar a decisão de denunciar Melhem – as acusações ainda estão sendo apuradas pela Justiça e o diretor decidiu processá-la por danos morais e materiais. Em sua defesa, ele anexou trocas de mensagens que demonstravam uma relação de certa intimidade entre os dois, para justificar a acusação de assédio feita pela humorista.

Coronavírus: ‘Não somos culpados’, protestam donos de restaurantes

Dani falou sobre isso: “Nenhuma brincadeira, nenhuma mensagem autoriza o assédio. ‘Ah, mas naquele dia foi carinhosa, riu, bebeu’, não interessa. Ninguém tem o direito de forçar o contato físico com ninguém. É preciso permissão. É muito difícil lidar com tudo isso, organizar o pensamento. Estou com meus pedaços colados, estou leve. E na terapia”, disse. A humorista estreia nesta sexta (5) o programa Dani-se, no GNT.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Publicidade