Clique e assine por apenas 4,90/mês

Coronavírus: ‘Praias ficam proibidas até sair a vacina’, diz Crivella

Dificuldade no uso da máscara durante a permanência nas areias é a justificativa dada pelo prefeito para manter o veto até o verão, 'se for preciso'

Por Cleo Guimarães - Atualizado em 9 jul 2020, 18h19 - Publicado em 9 jul 2020, 13h23

O verão de 2021 pode ser de praias proibidas na cidade do Rio. O prefeito Marcelo Crivella anunciou, no início da tarde desta quinta (9) que, ao contrário do cronograma traçado anteriormente, os banhos de sol e de mar continuarão proibidos enquanto não houver uma vacina contra a Covid-19. “Locais onde não se costuma usar a máscara, como nas praias, só devem ser liberados depois da vacina “, afirmou.

Covid-19: Rio se aproxima de 11 mil mortes pela doença

“Ela está sendo testada e pode ser produzida na Fiocruz. Se a gente libera a praia e faz sol no fim de semana, a areia pode ficar lotada, os transportes para ir e voltar, também”. Segundo Crivella, autorizar a reabertura agora poderia botar em risco conquistas recentes, como a queda no índice de contaminação. O prefeito não descartou estender a proibição até o verão (“esperamos que a vacina chegue antes de março“), e anunciou que, a partir desse fim de semana vai “apertar a fiscalização” nas areias. A prática de atividades físicas individuais nos calçadões e no mar continua liberada.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

“As pessoas que desrespeitarem as medidas serão multadas e podem ser levadas à delegacia”. Crivella também anunciou que as finais do campeonato carioca, disputadas por Flamengo e Fluminense nos dois próximos domingos, não terão a presença do público. Shoppings tiveram o horário de fechamento prorrogado de 18h para 22h, mas deverão continuar a abrir ao meio-dia.

‘Bolsonaro tinha que levar uma surra de cinto da mãe dele’, diz Cássia Kis

 

Publicidade