Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Mas não era católico? Wilson Witzel é batizado em Igreja Evangélica

Afastado por suspeita de corrupção, governador se declarava "cristão católico" na campanha de 2018

Por Cleo Guimarães 2 dez 2020, 12h48

Um dia antes de protocolar sua defesa no tribunal misto que julga o processo que pode culminar com a perda de mandato, o governador afastado Wilson Witzel saiu de casa, no Grajaú, rumo ao bairro de Inhaúma. No fim da tarde deste domingo (29), ele teve como destino a Igreja de Nova Vida, onde foi batizado na religião evangélica, mergulhado numa banheira de azulejos azul-bebê. É recente a sua conversão, reafirmada com o batismo: durante a campanha em que se elegeu, em 2018, o então candidato se declarou “cristão católico”, e costumava ressaltar com frequência sua opção religiosa.

Em tempos de pandemia, tradicional Trem do Samba será on-line

No mesmo dia do batizado, o ex-juiz – afastado do cargo desde agosto por supostos desvios de recursos da Secretaria de Saúde durante a pandemia do coronavírus – postou um vídeo de pregação em suas redes sociais. Nele, uma mulher com sotaque português passa mensagens de superação e fala sobre a importância de usar o bom caráter para conseguir superar adversidades que surgirem ao longo da vida. “Enquanto você estiver no bem bom com os seus amigos, com seus best friends forever, a sua vida não vai mudar. Deus gosta de pressão”, afirma a religiosa, aplaudida pelos fiéis.

Governador do Rio anuncia megatestagem e descarta mais restrições

Na legenda, Witzel escreveu: “Apresentei minha defesa ao Tribunal Misto e poderia trazer os inúmeros argumentos jurídicos que levarão à minha inocência. Mas esta palavra vai além. E quero compartilhá-la com você.” Uma nova sessão de julgamento está marcada para esta sexta (4), quando serão definidos os próximos passos do processo de impeachment do governador afastado.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade