Clique e assine por apenas 7,90/mês

Tarcísio Motta: o carnaval “careta” do vereador, 17 quilos mais magro  

Figura tradicional no carnaval de rua do Rio, vereador se submeteu a cirurgia de redução de estômago e não poderá beber; fantasia ainda não foi escolhida

Por Cleo Guimarães - Atualizado em 10 fev 2020, 11h26 - Publicado em 10 fev 2020, 11h10

Quando surgir em alguma fantasia hilária no carnaval de rua da cidade (ele já se vestiu de Mafalda, Emília e Mulher Maravilha, entre outras personagens), o vereador Tarcísio Motta (PSOL) ainda estará se recuperando de uma cirurgia de redução de estômago, feita em meados de janeiro. De lá para cá, já perdeu 17 de seus 150 quilos – o objetivo final é perder 50, o equivalente a uma Gisele Bündchen. “Operei por questões de saúde, não tenho problema estético nenhum de ser gordo”, afirma.

O que pegou mesmo, conta o vereador, foi um quadro pré-diabético, associado a uma acentuada esteatose hepática (o popular “fígado gordo”). A recuperação vai bem, e a agenda para os dias de folia inclui a participação no desfile de duas escolas do grupo de acesso: Império da Tijuca e Unidos de Vigário Geral, além da brincadeira nos blocos Embaixadores da Folia, Prata Preta, Cordão do Boitatá (“já emendando no Boi Tolo”), e no Bagunça o meu coreto, na Praça São Salvador, do qual é um dos diretores. Parece muita animação para um convalescente? Ele diz que se sente ótimo, e que o médico só fez uma restrição nesta fase do pós-operatório. “Não posso beber. Vai ser um carnaval careta, sem cerveja. Eu adoro uma cervejinha mas tudo bem, bebo dobrado no ano que vem”. A fantasia já estava escolhida. Tarcísio iria de Monalisa este ano, mas recapitulou. “Ia ficar muito quente. No calorzão não dá”. Ele ainda não decidiu como vem vestido este ano, já com suas novas medidas.

 

Publicidade