Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Ator Jonathan Azevedo cria ação solidária para ajudar famílias da Cruzada

Mais de 6 000 cestas básicas, 1 200 quentinhas e 110 cartões-alimentação já foram entregues pela iniciativa, que também oferece serviços médicos

Por Renata Magalhães Atualizado em 19 fev 2021, 18h55 - Publicado em 19 fev 2021, 06h00

Em uma tarde de verão de fevereiro de 2018, cerca de 100 jovens de baixa renda da cruzada São Sebastião assistiram impressionados ao filme Pantera Negra em uma das modernas salas do Shopping Leblon. a ida ao cinema, primeira para muitos que estavam ali, fez parte de uma ação tocada pelo ator Jonathan azevedo para conscientizar a garotada sobre o empoderamento negro.

“Foi um dos momentos mais emocionantes que já vivi”, lembra o intérprete de Sabiá na novela A Força do Querer, em reprise no horário nobre da Rede Globo. O personagem da trama originalmente exibida em 2017 trouxe a Jonathan reconhecimento, e isso lhe abriu portas para ampliar as iniciativas de cunho social dentro da Cruzada, no Leblon, conjunto habitacional onde nasceu e foi criado. “Sou fruto de movimentos que me deram chances na vida e sempre quis retribuir de alguma forma”, diz o ator de 35 anos, que iniciou a carreira no grupo de teatro Nós do Morro, na Favela do Vidigal.

Atualmente, Jonathan é padrinho do projeto Basquete na Cruzada, que dá aulas do esporte e de outras modalidades, e criou o cruzada na Social, para arrecadar cestas básicas e oferecer a moradores serviços de saúde, como consultas médicas. Ele ainda montou uma biblioteca na mesma cruzada, fazendo a leitura chegar a muita gente que não tinha um livro. A pandemia trouxe dificuldades, mas nem de longe o paralisou.

Jonathan realizou uma série de lives com personalidades como a atriz Taís Araujo, o ator Babu Santana e o cantor Pretinho da Serrinha, e saiu à caça de doações da iniciativa privada. O resultado foi bom: mais de 6 000 cestas básicas, 1 200 quentinhas e 110 cartões alimentação distribuídos no período mais crítico do surto do novo coronavírus no Rio.

“Só o investimento em educação é capaz de salvar aqueles que não têm oportunidade. E, quando as políticas públicas não dão conta do recado, são as ações sociais que tomam a dianteira”, conclui o incansável ator.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade