Continua após publicidade

“Sou algoz de racista”, diz Vini Jr após punição inédita na Espanha

Atacante nascido em São Gonçalo e ex-jogador do Flamengo agradeceu apoio do Real Madrid e prometeu continuar combate ao racismo

Por Da Redação
11 jun 2024, 08h00

Criado em São Gonçalo e ex-jogador do Flamengo – onde estreou no futebol profissional aos 16 anos -, o atacante Vini Jr usou sua conta no Instagram para se manifestar sobre a condenação de três torcedores do Valencia nesta segunda (10), por ataques racistas contra ele em maio passado. Em sentença inédita, o Tribunal de Justiça da Espanha condenou o trio a oito meses de prisão, além de ficarem dois anos sem entrar em estádios de futebol e a pagar multas. Nove meses antes, Vini já tinha sido chamado de “mono” (macaco, em espanhol) por outros torcedores em outra partida.

+ Arquitetos cariocas se revoltam com projeto de lei que burla Plano Diretor

“Muitos pediram para que eu ignorasse, outros tantos disseram que minha luta era em vão e que eu deveria apenas ‘jogar futebol’. Mas, como sempre disse, não sou vítima de racismo. Eu sou algoz de racistas“, escreveu o craque do Real Madrid.

Segundo Vini, esta primeira condenação penal da história da Espanha em casos de racismo no futebol não é por ele, mas sim “por todos os pretos”: “Que os outros racistas tenham medo, vergonha e se escondam nas sombras. Caso contrário, estarei aqui para cobrar. Obrigado a La Liga e ao Real Madrid por ajudarem nessa condenação histórica. Vem mais por aí…”.

Continua após a publicidade

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Vini Jr denunciou ter sido alvo de insultos racistas durante partida do Real Madrid contra o Valencia em 21 de maio do ano passado. Parte da torcida do Valencia, que venceu o Real Madrid por 1 a 0, gritou insultos racistas direcionados ao jogador brasileiro no segundo tempo da partida, que foi paralisada e depois retomada pelo árbitro por causa das ofensas. Nos acréscimos da partida, o brasileiro, revoltado e desestabilizado pelos rivais, foi expulso depois de se desentender com o atacante Hugo Duro. Ele levou cartão amarelo, mas após revisão do lance pelo VAR, foi expulso pela arbitragem. O episódio gerou revolta no Real Madrid, cujo técnico Carlo Ancelotti dedicou sua entrevista coletiva inteira para falar sobre o caso de racismo ao fim da partida. A polêmica aumentou qunado Javier Tebas, o presidente da LaLiga, a liga espanhola de futebol, criticou Vinicius Jr por ter reclamado da postura da entidade diante dos casos de
racismo. Após uma denúncia de La Liga, os torcedores foram identificados com a ajuda das
imagens de câmeras de segurança do estádio.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.