Clique e assine por apenas 4,90/mês

Casa Grande: futuro do teatro está agora nas mãos de Wilson Witzel

Alerj aprovou projeto de lei que propõe a prorrogação por mais 20 anos da cessão do imóvel, um centro de resistência politica e cultural do Rio desde 1966

Por Cleo Guimarães - 5 mar 2020, 16h00

Está nas mãos do governador Wilson Witzel a sobrevivência do Teatro Casa Grande, no Leblon. A Alerj aprovou, em discussão única, nesta quinta-feira (20), o projeto de lei que propõe a prorrogação por mais 20 anos da cessão do imóvel onde funciona o teatro, na Avenida Afrânio de Melo Franco. Fundado em 1966 por Sérgio Cabral (pai) Moysés Fuks, Moysés Ajhaenblat e Max Haus, o Casa Grande  fez história na vida cultural carioca, além de ter sido palco de debates e eventos que confrontaram a Ditadura. A proposta de prorrogação é de autoria dos deputados André Ceciliano (PT), Eliomar Coelho (PSol), Martha Rocha (PDT), Enfermeira Rejane (PCdoB), Flavio Serafini (PSol), Waldeck Carneiro (PT), Mônica Francisco (PSol), Sérgio Fernandes (PDT), Renan Ferreirinha (PSB), Renata Souza (PSol) e Lucinha (PSDB).

O texto seguirá para o governador, que tem até 15 dias úteis para sancionar ou vetar. No mês passado, após recomendação do Tribunal de Contas do Estado (TCE), a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa havia suspendido o edital de cessão do espaço, que foi tombado pela prefeitura e pelo Executivo estadual. A secretaria havia concedido apenas uma prorrogação provisória, para a utilização do espaço por 180 dias.

Publicidade