O Dia Mais Feliz da Vida de Olli Mäki

Tipos de Gêneros dramáticos: Cinebiografia, Drama
Veja Rio
starsstarsstarsstarsstars

Resenha por Miguel Barbieri Jr.

(Reprodução/Reprodução)

O Dia Mais Feliz da Vida de Olli Mäki traz à tona um personagem real. Em 1962, o padeiro e boxeador Olli Mäki (Jarkko Lahti, na foto) aceitou um grande desafio. Saiu de sua pequena cidade, no interior da Finlândia, para ser treinado na capital, Helsinque, e assim enfrentar o americano Davey Moore, então campeão da categoria peso-pena. O país ficou em polvorosa e Mäki virou celebridade. Mas, ao mesmo tempo que tinha tudo para se tornar uma lenda, o lutador se apaixonou pela graciosa Raija (Oona Airola). Estreante no longa-metragem, o diretor Juho Kuosmanen ouviu, em 2011, essa história do próprio Olli Mäki, hoje um senhor de 80 anos, com Alzheimer em estágio avançado. Kuosmanen transpôs o episódio verídico para o cinema com uma nostálgica fotografia em preto e branco e muita cautela para abordar a trajetória de um homem dividido entre o amor e a carreira, entre a razão e a emoção. Direção: Juho Kuosmanen (Hymyilevä Mies, Finlândia/Alemanha/Suécia, 2016, 92min). 12 anos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s