Mulheres Divinas

Tipos de Gêneros dramáticos: Drama
Veja Rio:

Resenha por Miguel Barbieri Jr

O direito das mulheres ao voto foi garantido no Brasil em 1932. Por incrível que pareça, isso só ocorreu na Suíça em 1971, ano em que se passa Mulheres Divinas. Embora de estrutura didática e desenrolar apressado, o filme, indicação da Suíça ao Oscar 2018, atinge o objetivo de traçar um painel da esposa submissa daquela época. A mulher em questão é Nora (Marie Leuenberger), mãe de dois meninos e casada com o gerente de uma marcenaria de um vilarejo. Como já está com os filhos crescidinhos, Nora pretende voltar a trabalhar. Mas o marido não quer, e, pela lei, ela precisa da permissão dele. Ao se interessar por feminismo e direitos igualitários, a protagonista se inteira do tema e toma a frente de um comitê para apoiar a proposta do voto feminino. Não será fácil, contudo, ganhar a adesão do conservador povo local. Direção: Petra Volpe (Die Göttliche Ordnung, Suíça, 2017, 96min). 16 anos.

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Tudo o que a cidade maravilhosa tem para te
oferecer.
Receba VEJA e VEJA RIO impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.