VINHOS

Dezessete vinhos bons e baratos à venda em mercados

Em incursão por supermercados populares, especialista em vinhos selecionou as garrafas com a melhor relação custo-benefício. Na lista encontram-se rótulos a partir de 17,50 reais

Por: Daniela Pessoa - Atualizado em

Rogério Montenegro
(Foto: Redação Veja rio)

Apesar do crescente interesse dos brasileiros por vinhos, alguns mitos ainda rondam a bebida. A ideia de que os bons rótulos são os mais caros é o principal deles. O preço mais alto já pago por uma garrafa - datada de 1787 e atribuída à adega de Thomas Jefferson - foi de 156.450 dólares. Especialistas garantem, no entanto, que a cifra tem muito mais a ver com o marketing sobre este vinho do que com a qualidade dele em si. Marcelo Copello, um dos nomes mais influentes deste mercado no Brasil, mostra que é possível, sim, degustar ótimos vinhos pagando pouco. Após visitar três supermercados populares, ele escolheu os rótulos de melhor custo-benefício. Imprima essa lista e boas compras.

Curiosidade: a tese de que bons vinhos não são necessariamente caros foi inclusive comprovada, nesse ano, por pesquisadores da Universidade de Hertfordshire, na Escócia. No estudo, conduzido com 578 pessoas que participaram de uma degustação às cegas, metade das pessoas observadas durante a pesquisa, entre elas as que se definiam como especialistas na bebida, não conseguiu diferenciar se tinha bebido das garrafas de preço mais alto ou das mais em conta.

SUPERMERCADO MUNDIAL Filial visitada: Rua Siqueira Campos, 71, Copacabana. 1- Royal Oporto Ruby Preço: R$ 28,80 Produtor: Real Companhia Velha Região: Porto (Portugal)

Trata-se de um vinho tinto fortificado, doce. Harmoniza muito bem com queijos fortes, como o gorgonzola. A dica de Copello, que costuma ter um guardado no freezer, é esquentar o queijo por alguns segundos no micro-ondas. Quando ele tiver começado a derreter, retire-o do forno e derrame sobre ele uma colher de sopa do vinho. Sirva-o com uma taça da mesma bebida. O contraste entre o salgado do queijo e o doce do vinho fica uma delícia, mas este rótulo também cai bem com frutas secas como passas e nozes.

2) Paulo Laureano Reserve 2007 Preço: R$ 45,80 Produtor: Paulo Laureano Região: Alentejo (Portugal)

Paulo Laureano é um nome muito conceituado e talentoso no meio do vinho. Produz bons fermentados em todas as faixas de preço. O Reserve é um vinho tinto opulento, encorpado e amadeirado, estilo que caracteriza seu produtor. Vai muito bem com o bacalhau ao brás, receita que leva bastante azeite e azeitonas pretas. O Paulo Laureano 2010 branco (R$ 18,90), o 2009 tinto (R$ 18,90) e o Paulo Laureano Premium 2008 (R$ 23,80) são vinhos da mesma linha que também vale a pena levar para casa devido ao ótimo custo-benefício.

3 - Flor de Crasto 2008 Preço: R$ 23,80 Produtor: Quinta do Crasto Região: Douro (Portugal)

Vinho tinto bem elegante, leve e fresco. Bom para acompanhar aperitivos ou pratos bem leves como carpaccio de carne.

4 - Alvarinho Deu La Deu 2009 Preço: R$ 49,90 Produtor: Adega Cooperativa de Monção e Melgaço. Região: Vinho Verde (Portugal)

Leve e fresco, é produzido na Região Demarcada dos Vinhos Verdes, no noroeste de Portugal, uma região costeira conhecida pela produção de excelentes vinhos brancos. Este, no caso, é um dos melhores da região. E, como se não bastasse, a alvarinho é a uva branca mais importante de Portugal. Trata-se de um vinho frutado que harmoniza bem com brandade de bacalhau ou bacalhau com natas, ambos versões mais leves da tradicional bacalhoada.

5 - Malbec Serie A 2009 Preço: R$ 48,90 Produtor: Zuccardi Região: Mendoza (Argentina)

Vinho de muita presença na boca e atitude à mesa. Forte, com alto teor de álcool, ele harmoniza perfeitamente com assados.

6 - Salton Talento 2006 Preço: R$ 45,50 Produtor: Salton Região: Serra Gaúcha (Brasil)

É um dos melhores vinhos tinto secos nacionais. Em degustação às cegas, ele lembra muito o famoso Bordeaux, da França. De acidez boa, equilibrado e fresco, é um vinho gastronômico que harmoniza com muitos tipos de pratos. Mas uma boa escolha, segundo Copello, é o cordeiro grelhado. "Sem molho de menta ou qualquer tipo de molho doce, senão mata o vinho", avisa o especialista.

7 - Chandon Brut Rosé Preço: R$ 46,50 Produtor: Maison Moët & Chandon Região: Rio Grande do Sul (Brasil)

Vinho de uma das maiores e mais tradicionais produtoras de espumante do Brasil, sua versão rosé harmoniza de forma perfeita com frutas vermelhas, seja em tortas doces ou em redução sobre um salmão assado.

SUPERMERCADO PREZUNIC Filial visitada: Rua General Polidoro, 260, Botafogo.

8 - Nieto Senetiner Brut Nature Preço: R$ 31,20 Produtor: Nieto Senetiner Região: Mendoza (Argentina)

Vinho branco espumante totalmente seco, sem adição de açúcar, o que o torna mais nobre. "O açúcar é maquiagem. Os secos são sempre mais elegantes", explica Copello. Experimente servi-lo acompanhando um bolo com cobertura de glacê bem açucarada. O contraste é excepcional.

9 - Salton Moscatel Preço: R$ 17,50 Produtor: Salton Região: Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul (Brasil)

Ao contrário do Nieto Senetiner Brut Nature, este espumante branco é doce, categoria que mais vende no Brasil. A sugestão de Copello é fazer o seguinte experimento: harmonize tanto o Nieto Senetiner quanto o Salton Moscatel com um bolo de cobertura de glacê bem açucarada. "É interessante sentir a diferença dos dois vinhos no contraste com o doce", encoraja Copello.

10 - Santa Cristina 2009 Preço: R$ 44,50 Produtor: Antinori Região: Toscana (Itália)

Este vinho é feito com a uva mais importante da Itália, a sangiovese. Vinhos italianos primam por serem bastante gastronômicos, ou seja, devem ser servidos acompanhando um prato ao invés de sozinhos. O Santa Cristina é ideal para harmonizar desde com o tradicional espaguete à bolonhesa até uma boa bisteca a fiorentina.

11 - Pionero Chardonnay 2009 Preço: R$ 17,50 Produtor: Morandé Região: Casa Blanca (Chile)

A bodega Morandé é craque em fazer vinhos brancos, pois está localizada em uma grande região de uvas chardonnay no Chile. Portanto, este é um excelente vinho branco que deixa uma refeição com linguado e alcaparras na manteiga, por exemplo, ainda mais gostosa.

12 - Colheita Selecionada 2008 Preço: R$ 25,90 Produtor: Quinta de Cabriz Região: Dão (Portugal)

Ele vem de uma das regiões de tintos mais elegantes de Portugal, uma espécie de Borgonha portuguesa. No Dão, são feitos vinhos de altíssima qualidade, e baratos. Este, no caso, é um tinto ideal para harmonizar com sardinha portuguesa grelhada.

SUPERMERCADO GUANABARA Filial visitada: Avenida das Américas, 3501, Barra.

13 - Meia Pipa 2007 Preço: R$ 42,40 Produtor: Bacalhôa Região: Península de Setúbal (Portugal)

Este é o vinho de melhor custo-benefício da lista, segundo Copello. O preço é excepcional se comparado à ótima qualidade da bebida. Encorpado, ele vai bem com pato com cogumelos, por exemplo.

14 - Justino?s Madeira Preço: R$ 38,50 Produtor: Justino?s Região: Ilha da Madeira (Portugal)

É um vinho doce, fortificado como o porto, só que branco. De acordo com Copello, a Madeira é uma região muito injustiçada, pois produz vinhos espetaculares pouco reconhecidos. Sugestão de harmonização: torta de nozes ou avelãs.

15 - Casillero del Diablo Shiraz 2009 Preço: R$ 29,90 Produtor: Concha y Toro Região: Vale de Rapel (Chile)

Vinho clássico, um dos mais conhecidos da Concha y Toro, maior vinícola do Chile. Da linha Casillero del Diablo, o que tem mais saída no Brasil é o cabernet sauvignon, mas o produzido com uva shiraz, segundo Copello, também é excelente. "Esta uva tem aroma de especiaria, picante", diz. Para acertar em cheio, sirva-o com um saboroso steak au poivre.

16 - Los Vascos Rosé 2009 Preço: R$ 32,90 Produtor: Los Vascos Região: Colchagua (Chile)

O produtor é chileno, mas a empresa é francesa. Por isso, este vinho tem o estilo mais elegante do francês. Comida tailandesa, agridoce, é a combinação perfeita para este rosé, assim como salmão com redução de frutas vermelhas.

17 - Casal Garcia Rosé Preço: R$ 19,80 Produtor: Aveleda Região: Vinho Verde (Portugal)

Gaseificado, este vinho é bem leve, "quase como um refrigerante", compara Copello. Novidade no mercado, ele é perfeito para ser servido com petiscos de frutos do mar à beira da piscina ou na praia, por exemplo. Mas é também do tipo de vinho que pode ser tomado puro, sozinho, independente de tira-gostos. A bebida só não tem corpo suficiente para harmonizar com prato principal ou sobremesa.

Fonte: VEJA RIO