VIAGEM

Escapadas de inverno

Um roteiro com as atrações que você não deve deixar de ver em dez destinos na Serra fluminense

Por: Thaís Meinicke - Atualizado em

mapa_serra.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

É só começar o inverno para os cariocas já começarem a pensar em dar uma escapadinha da cidade para aproveitar o clima da estação em algum dos destinos de Serra do estado. Com temperaturas mais amenas, é possível saborear fondue e outras delícias nos restaurantes locais e ainda relaxar ao lado da lareira e vista para as verdes paisagens das regiões. Preparamos um roteiro com o que há de melhor nas principais cidades serranas do estado para você não perder nada durante a viagem. Escolha seu destino preferido e aproveite o frio bem pertinho do Rio.

PETRÓPOLIS

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Uma das mais importantes cidades históricas do Brasil e principal destino turístico de inverno do estado, Petrópolis está localizada a apenas 68 quilômetros da capital. Entre as diversas atrações históricas, destaca-se o Museu Imperial, antiga casa de veraneio de D. Pedro II. Divertido, o passeio por seus cômodos exige que os visitantes calcem pantufas para não danificar o piso da instituição. Entre os cerca de 300 mil itens que representam o principal acervo da monarquia brasileira, estão peças valiosas como a coroa de D. Pedro II e a pena de ouro usada pela Princesa Isabel para assinar a Lei Áurea, em 1888.

Veja também: Dez motivos para visitar o Museu Imperial

Entre outras atrações da cidade, estão o Palácio de Cristal, com estrutura de ferro original; a Casa de Santos Dumont, que hoje funciona como um museu e tem peculiaridades como o chuveiro de água quente - o único do Brasil àquela época - e a escada com recorte especial, onde só se pode começar a subir com o pé direito; além do Palácio Quitandinha, construído em estilo normando; e a Cervejaria Bohemia que, inaugurada em 1853, abriga um museu temático e interativo sobre a marca de cerveja mais antiga do Brasil.

NOVA FRIBURGO

friburgo.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A Pedra do Cão Sentado, símbolo da cidade, é uma formação natural de mais de 100 metros de altura que ganhou esse nome por se assemelhar a um cão em posição de guarda. Para chegar ao mirante mais próximo, o turista uma trilha que passa por grutas e cavernas. No parque, na base há ainda estrutura para lazer e esportes, como pesque-pague, lagos, pedalinho, praça de alimentação, tirolesa e escalada.

Outra atração local é o Jardim do Nêgo. No quintal de sua propriedade, o cearense Geraldo Simplício - o Nêgo - faz impressionantes esculturas talhadas nas encostas. São mais de 30 obras, como a Índia Potira dando à luz, o bebê gigante, a tartaruga e a pastora que representa a fé nordestina.

TERESÓPOLIS

teresopolis.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Com mais de vinte mil hectares, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos é a principal atração da cidade e um prato cheio para os amantes da natureza. Localizado em terras de cinco municípios, a sede de Teresópolis é a principal, diferentes opções aos visitantes: banho de cachoeira, caminhadas, escaladas, rapel e a maior rede de trilhas do Brasil. O destaque é a trilha suspensa em meio às copas das árvores, que chega a até 9 metros de altura. O caminho é bem sinalizado e fácil de percorrer. Para quem tem melhor preparo físico, a trilha Cartão Postal é uma sugestão imperdível e tem como destino um um mirante com vista para toda a cadeia de montanhas e para o famoso Pico do Dedo de Deus.

MIGUEL PEREIRA

miguelpereira.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O cartão postal da cidade é o Lago da Javary, um lugar repleto de verde e com atrações para todas as idades, como aluguel de cavalos e charretes, pedalinhos e parquinho para as crianças. Entre as atrações, há ainda as Cachoeiras de Vera Cruz; o Museu do Trem, localizado na extinta estação ferroviária de Governador Portela, pequeno município antes de chegar à Miguel Pereira; e o Museu Francisco Alves, um espaço dedicado ao cantor conhecido como Rei da Voz, fenômeno da música popular brasileira no final da década de 1920 que tinha residência na cidade.

VISCONDE DE MAUÁ

viscondedemaua.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O destino serrano é composto por três vilas - Mauá, Maringá e Maromba - erguidas na divisa entre o Rio e Minas Gerais. O local possui uma boa rede de hotéis e restaurantes e é uma ótima opção tanto para quem quer relaxar quanto quem prefere aproveitar os esportes na natureza. Umas das atrações mais divertidas é a Cachoeira do Escorrega, uma espécie de tobogã natural. É possível ainda praticar esportes radicais como rapel, mountain bike, rafting, canoagem e caminhadas até a Pedra Selada ou o Pico das Agulhas Negras.

PENEDO

penedo.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Distrito de Itatiaia, o local é a principal colônia finlandesa do Brasil fora da Região Sul, o que fica evidente na arquitetura e na cultura locais. Entre as atrações que remetem ao país estão a Pequena Finlândia, um shopping a céu aberto que traz imóveis de arquitetura tipicamente finlandesa, além da Casa do Papai Noel. As lojas expõem peças artesanais e as placas das ruas são bilíngues, em português e finlandês. Fundado em 1943, o Clube Finlândia é a entidade responsável por preservar a cultura do país e realiza, sempre no primeiro sábado do mês e nos feriados, o seu tradicional baile finlandês. Há ainda o Museu Finlandês, que exibe artesanato, livros, revistas, tapeçarias e outros utensílios.

As cachoeiras também estão entre as atrações da região, entre elas, Cachoeira de Deus, Três Cachoeiras, Três Bacias e a Cachoeira do Tangará.

ITATIAIA

itatiaia.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Emoldurado pelo Parque Nacional do Itatiaia, o município é a principal porta de entrada para a reserva ecológica, a mais antiga do país, criada em 1937 e repleta de rios, cachoeiras e trilhas, além de fauna e flora diversificadas. Nos mirantes, como o do Último Adeus, é possível ver a paisagem do parque, que tem ainda atrativos para os praticantes de escalada, como o Pico das Agulhas Negras, com 2.800 metros de altitude.

VASSOURAS

vassouras.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Na cidade de Vassouras, localizada no Vale do Café, destacam-se as grandes fazendas e suas atrações. Uma delas é a Fazenda São Luiz da Boa Sorte que, com casarão de 1876, é uma das mais importantes do ciclo do café e teria recebido a visita do Conde D'Eu. Entra as atrações estão visitas guiadas, spa e eventos culturais, como o Festival Vale do Café, que ocupa anualmente diversas fazendas da região.

Veja também: Festival Vale do Café leva shows a cidades do interior fluminense

A cidade conta ainda com o Museu Chácara da Hera, um testemunho da riqueza gerada pelo café no século XIX. Com uma estrutura composta por 22 cômodos distribuídos em área social, íntima e de serviço, o espaço abriga mobiliário, porcelana, prataria, quadros e objetos de uso pessoal e doméstico. O acervo conta ainda com uma biblioteca com cerca de mil volumes e três mil periódicos. Destacam-se também o piano francês Henri Herz, do século XIX, um dos únicos exemplares em funcionamento no mundo, e a coleção de indumentárias assinada por mestres da alta costura internacional, como Charles Worth.

CONSERVATÓRIA

conservatoria.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Conhecida como a cidade das serenatas e serestas - músicas melodiosas, semelhantes às trovas -, tem apresentações nos finais de semana que costumam atrair os turistas. A serenata invade as ruas de Conservatória a partir das 23h, às sextas e sábados, em uma tradição de mais de 120 anos, que só não acontece nos dias de chuva. O público segue lentamente os músicos pelas ruas de pedra da cidade.

Outras atrações são o Túnel que Chora, de onde foram extraídas por escravos as pedras utilizadas no calçamento da cidade. Ele possui, em seu interior, uma nascente de água pura chamada Fonte da Saudade. A Maria Fumaça, locomotiva a vapor usada no transporte de passageiros e de café, também está exposta na antiga Estação Ferroviária, hoje transformada em terminal rodoviário. Durante o ciclo do café, a região chegou a abrigar mais de cem fazendas, como a Fazenda Santa Clara, que ainda hoje permanece conservada em uma construção monumental com três andares e noventa quartos.

SANA

sana.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Boa opção para o público que prefere um cantinho de paz, o pequeno distrito de Macaé possui rios, cachoeiras, trilhas e mirantes em meio à Mata Atlântica. Com muitos campings e poucos restaurantes e pousadas, seu ponto alto é a natureza preservada. As quedas d'água mais procuradas pelos visitantes são as cachoeiras do Pai, da Mãe, Sete Quedas e Escorrega.

Outro ponto característico do local é a Pedra do Peito de Pombo, uma formação rochosa a 1400 metros de altitude de onde é possível avistar grande parte da região da Costa do Sol, que compreende Macaé, Rio das Ostras, Barra de São João, Búzios e Cabo Frio. Para animar as noite, costumam acontecer shows de forró, comandados pelo grupo local Raiz do Sana.

Fonte: VEJA RIO