feriadões

Dez destinos “bate e volta” no estado do Rio

Selecionamos dez lugares imperdíveis para você aproveitar os feriadões de 2015 sem ir muito longe

Por: Thaís Meinicke e Luna Vale - Atualizado em

Além do Carnaval e da Semana Santa, 2015 terá quinze feriados prolongados ao longo no ano. Para você se planejar e aproveitar esses dias de folga em grande estilo, listamos dez destinos imperdíveis dentro do próprio estado.

+ Dez cachoeiras incríveis no estado do Rio

+ Dez aplicativos para a viagem perfeita

Serrinha do Alambari, Penedo

Serrinha do Alambari
Serrinha do Alambari (Foto: Loucos Por Viagem/Divulgação)

A região de natureza preservada localizada no caminho para Visconde de Mauá é um dos melhores lugares de Penedo para o ecoturismo. Lá, ficam as nascentes dos rios Alambari, Santo Antônio e Pirapitinga, ideais para banhos de cachoeiras e caminhadas. Entre os meses de agosto e outubro, milhares de borboletas colorem ainda mais as trilhas nas matas.

No início dos anos 90, a Serrinha foi transformada em área de proteção ambiental, criando a primeira guarda florestal municipal do país, que fiscaliza e coíbe desmatamento, construções irregulares, pesca e caça predatórias na região.

+ Dez hotéis para viajar com as crianças

Martins de Sá, Paraty

martins de sá
Martins de Sá (Foto: Divulgação)

A praia deserta e cercada por montanhas localizada em Paraty é ótima opção para quem quer se isolar do caos da cidade. Com apenas um camping – o do seu Maneco, que serve ainda um gostoso “prato feito” aos aventureiros da região –, o local, que desde 1992 faz parte da Reserva Ecológica da Joatinga, é um oásis de tranquilidade.

Além de aproveitar as ondas da praia para o surfe, também é possível tomar banho de cacheira e praticar pesca submarina. Os fãs da cervejinha gelada, no entanto, podem não gostar muito do lugar - logo na trilha para a praia, uma placa avisa: em Martim de Sá bebida alcoólica não é vendida.

+ Os melhores campings do Rio

Enseada do Sítio Forte, Ilha Grande

Enseada de Sítio Forte
Enseada do Sítio Forte (Foto: Reprodução)

Um dos locais mais tranquilos e agradáveis da ilha, a enseada é composta por seis praias – Passaterra, Maguariquessaba, Marinheiro, Sítio Forte, Tapera e Ubatubinha – com águas cristalinas, que abrigam colônias de pescadores. Entre as principais atrações do local está a prática de mergulho, que tem como ponto alto o navio Pinguino, naufragado em 1967, um dos pontos mais visitados por mergulhadores de todo mundo. Algumas praias, além das belezas naturais, possuem restaurantes e funcionam como ancoradouro para embarcações de diversos lugares.

+ Dez motivos para visitar o Parque Nacional da Serra dos Órgãos

Sana, Macaé

sana
Sana (Foto: Érica Ferreira/Divulgação)

Rústico, tranquilo e com charmosas pousadas, o vilarejo do Sana, localizado na serra de Macaé, é contornada por cachoeiras e trilhas, onde é possível realizar ecoturismo e esportes radicais, como rafting e canoeing. O cartão-postal da região é o Pico do Peito do Pombo, a 1.200 metros de altitude.

O arraial também é abrigo de muitos músicos que tocam nos fins de semana em seus aconchegantes bares, em festas que vão até de manhã, com ritmos como forró, reggae e samba. O grupo mais conhecido da região é o Raiz do Sana. Uma feirinha local chamada Cria Sana completa os atrativos, com produtos artesanais e típicos da região.

+ As atrações que você não deve deixar de ver em dez destinos na Serra Fluminense

Lumiar, Nova Friburgo

Lumiar 1
Lumiar (Foto: Divulgação)

Situado perto de Nova Friburgo, Lumiar é um vilarejo rodeado de natureza. Com pousadas rústicas e charmosas, é ideal para quem quer relaxar no clima ameno da serra fluminense. A região conta com atrações variadas, como cachoeiras, piscinas naturais, trilhas que podem ser percorridas de jipe, moto, bicicleta ou a pé e esportes, como canoagem, mountain bike, trekking e escalada.

Restaurantes e bares com música ao vivo animam a vida noturna, com fondues, trutas e outras delícias da região. A Igreja de São Sebastião, padroeiro de Lumiar, construída em 1901 e os ateliês de artesanato completam as atrações.

+ Dez hotéis na serra fluminense de onde você não vai querer sair nunca mais

Aldeia Velha, Silva Jardim

cachoeira andorinhas
Cachoeira das Andorinhas, em Aldeia Velha (Foto: Reprodução Internet)

A pequena vila na área preservada de Mata Atlântica oferece diversas opções de lazer, dos mais aventureiros a quem busca paz e tranquilidade. Com uma queda de 12 metros, a cachoeira das Andorinhas fica a 4km do centro e oferece também a prática de rapel e tirolesa. Logo acima, outros dois poços de água valem a visita. Subindo pela mesma estrada é possível chegar à Toca da Onça e ao Encontro dos Rios, na região de Lumiar.

Todo ano, na Semana Santa, a vila recebe o Aldeia Rock Festival, quando bandas de todo o país se juntam para tocar rock e blues. Além dos shows, uma programação cultural anima os visitantes e o ingresso também dá direito ao camping.

+ Aluguel por temporada é alternativa para viagem mais econômica

Serra do Piloto, Mangaratiba

Mangaratiba  -
Lago na Serra do Piloto, em Mangaratiba (Foto: André Telles/divulgação)

A primeira estrada do país foi construída no século XIX, ligando o Vale do Paraíba ao litoral para ajudar no escoamento da produção de café e no tráfico de escravos que chegavam nos navios. Hoje, os 40km de extensão abrigam prédios e construções históricas do período colonial, além de trilhas e cachoeiras em uma área preservada de Mata Atlântica e uma bela vista da Baía de Mangaratiba.

Na cidade de São João Marcos, o Parque Arqueológico e Ambiental oferece um circuito de visitação com 33 mil m² incluindo um mirante para observação de pássaros e uma caminhada à margem da represa de Ribeirão das Lages, além das ruínas da antiga cidade que foi demolida para dar lugar ao espelho d’água e, por um erro de cálculo, acabou não sendo inundada. 

Parque Arqueológico e Ambiental de São João Marcos - Estrada RJ-149 (Rio Claro-Mangaratiba) Km 20 - Rio Claro/RJ. Visitação: de quarta a sexta-feira, das 10h às 16h - sábados e domingos, das 9h às 17h. Entrada Franca

+ Dez dicas para aproveitar sua viagem ao máximo

Sede do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Teresópolis

Sede do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Teresópolis
Sede do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, Teresópolis (Foto: Divulgação)

Com acesso na área urbana da cidade, a principal sede do parque tem piscinas de águas naturais, trilhas com diferentes níveis de dificuldade, cachoeiras e escaladas. O local ainda oferece áreas de camping, trilhas para acesso de deficientes e estacionamento.

De lá parte a trilha da Pedra do Sino, o ponto mais alto da Serra com 2.275m e vista que vai da Baía de Guanabara ao Vale do Paraíba. É necessário ter noções de montanhismo já que são cerca de 11km feitos entre cinco e seis horas, com duas cachoeiras no caminho. O acesso é limitado a 100 pessoas por dia.

Avenida Rotariana s/nº (que interliga a BR 116 Rio-Bahia, na altura do km 89,5 à cidade), com acesso bem sinalizado. A entrada do parque fica ao lado da ponte sobre o Rio Paquequer, na entrada da cidade, próximo ao Mirante do Soberbo e ao Portal da Cidade.

+ Dez aplicativos de carona que facilitam a vida dos viajantes

Carapebus, Macaé

Parque Nacional de Jurubatiba
Parque Nacional de Jurubatiba, em Carapebus, no norte do estado (Foto: Reprodução Internet)

O pequeno município na região entre Macaé e Quissamã abriga praia, lagoa e até um parque nacional. Com um clima calmo de cidade do interior, é uma ótima opção para quem buscar tranquilidade com infraestrutura de uma cidade.  O Parque Nacional de Jurubatiba é formado por 44km de costa, com 12 lagoas, áreas de brejo, sertão e inúmeros tipos fauna e flora. 

Ilha dos Papagaios, Cabo Frio

ilha dos papagaios
Ilha dos Papagaios é uma boa opção em Cabo Frio (Foto: Divulgação)

A 30 minutos de barco da cidade da Região dos Lagos, é a ilha mais próxima de Cabo Frio. Com areia branca e águas cristalinas, não é raro ver tartarugas, arraias e corais, além dos peixes, o que a torna um paraíso para mergulhadores. Passeios diários são oferecidos, seja para mergulha ou para quem quiser passar o dia em alguma das praias da ilha.

Fonte: VEJA RIO