TEATRO

Talvez uma História de Amor

Um protagonista meio deslocado na sociedade e uma premissa insólita estão na base da comédia dramática inspirada em livro do escritor francês Martin Page

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Thyago de Andrade/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Como Me Tornei Estúpido, livro mais conhecido do escritor francês Martin Page, conta a história de um jovem inteligente que, em busca da felicidade, decide virar um imbecil para aproveitar melhor a vida. Um protagonista meio deslocado na sociedade e uma premissa insólita também estão na base da comédia dramática Talvez uma História de Amor, transposição para o palco de outro romance de Page. A montagem traz Eduardo Pires como Virgile, jovem publicitário um tanto recluso. Certo dia, ao chegar em casa, ele escuta na secretária eletrônica o recado de uma mulher desconhecida, dizendo que vai romper o relacionamento entre os dois ? e aí decide conquistar a moça. Assinada por Rafael Gomes, a adaptação segue caminho próprio: não se prende à estrutura do livro, mas é fiel à sua essência. Essa busca pelo âmago se reflete no cenário enxuto, e belo, de Flavio Graff, assim como na direção comedida de Vinicius Arneiro, que extrai boas performances do seu elenco ? além do protagonista, Cynthia Reis divide-se em cena pelos papéis femininos (70min). 12 anos. Estreou em 10/8/2013.

Centro Cultural Justiça Federal (142 lugares). Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550, ? Cinelândia. Sexta a domingo, 19h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (sex. a dom.). Até dia 15.

Fonte: VEJA RIO