TEATRO

Retratos Falantes

Dois monólogos curtos do inglês Alan Bennett abastecem a montagem do Grupo Tapa

Por: Rafael Teixeira

AVALIAÇÃO ✪✪✪✪

Fotos Dalton Valerio/Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Montagem do Grupo Tapa, esta reunião de dois monólogos curtos do inglês Alan Bennett é a prova de que a força do teatro não depende de produções faustosas - pode, até, emergir de forma ainda mais avassaladora, tanto maior for a economia de recursos. Ciente da potência dos textos e da enorme qualidade de seus intérpretes, o diretor Eduardo Tolentino de Araújo optou por não criar diversionismos: a cenografia se limita a duas poltronas e um banco, a luz revela imensa sofisticação em sua simplicidade e os figurinos são o mais básicos possível para seus personagens. O primeiro deles, do texto Fritas no Açúcar, é Graham (Brian Penido Ross), sujeito de meia-idade que ainda vive com a mãe um pouco esclerosada. Em Brincando de Sanduíche, o foco recai sobre Wilfred (Zécarlos Machado), pacato funcionário de limpeza de um parque que esconde um segredo escabroso. De maneiras diferentes, cada um deles é confrontado com uma situação que fará emergir suas facetas mais estranhas, ou mesmo pervertidas. Apropriadamente discreta, a direção abre o devido espaço para performances estonteantes da dupla. Não é pouca coisa (80min). 14 anos. Estreou em 28/8/2014.

Espaço Sesc - Teatro de Arena (240 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-1088. → Quinta a sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até domingo (14).

Fonte: VEJA RIO