Celulares ligados

Para os que Estão em Casa aborda relações intermediadas por tecnologia

Peça retrata sete amigos que vivem conectados por telefone, mas nunca se encontram pessoalmente.

Por: Rafael Teixeira

Celulares ligados, mas só no palco
O elenco da comédia dramática: conectados e mesmo assim distantes (Foto: Vicente de Mello)

Lançado em 1995, o filme Denise Está Chamando apresentava, por trás da fachada de comédia algo despretensiosa, uma realidade triste e já perceptível àquela época: uma aparente desintegração das relações humanas cara a cara, olho no olho, em favor da intermediação dos gadgets. No longa-metragem, entretanto, telefones sem fio, secretárias eletrônicas e aparelhos de fax ainda eram tidos como o suprassumo da modernidade. Em um mundo hiperconectado como o de hoje, torna-se ainda mais pertinente a reflexão sobre o tema, levantada em Para os que Estão em Casa. Primeiro trabalho como dramaturgo do ator Leonardo Netto (do premiado Conselho de Classe), a peça não é uma adaptação do filme, mas parte do mesmo mote: sete amigos (aqui vividos por Adassa Martins, Ana Abbott, Beatriz Bertu, Cirillo Luna, Isabel Lobo, João Velho e Renato Livera) vivem conectados por telefone, mas nunca se encontram pessoalmente. Ao longo da trama, o autor, também diretor da peça, discorre sobre as relações afetivas de hoje e mostra como, por trás da facilidade de se comunicar, pode se esconder uma profunda solidão (80min). 14 anos.

Espaço Sesc — Teatro de Arena (242 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2548-1088. → Quinta a sábado, 20h30; domingo, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Até 8 de fevereiro. Estreia prometida para sexta (16).

Fonte: VEJA RIO