TEATRO

Palhaços

Sucesso durante oito anos em São Paulo, a montagem do texto do paulistano Timochenco Wehbi (1943-1986) chega ao Rio

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪✪

Thaty Yázigi / Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Sucesso durante oito anos em São Paulo, onde estreou, a montagem do diretor Gabriel Carmona para o texto do paulistano Timochenco Wehbi (1943-1986) chega ao Rio azeitada pelo tempo em cartaz. Atração no Teatro Poeirinha, o espetáculo começa quando, depois de um show, o palhaço Careta (Dagoberto Feliz) recebe no camarim a inesperada visita do humilde vendedor de sapatos Benvindo (Danilo Grangheia), que quer parabenizá-lo. Protocolar no começo, a conversa descamba para um conflito entre duas pessoas que são lados opostos da mesma moeda ? como sugere o título no plural, ambos são palhaços, mas só aquele que faz disso uma profissão se reconhece como tal. Sagaz, mas desiludido (exatamente o oposto de Benvindo), Careta vai, aos poucos e por vezes até cruelmente, revelando ao fã quanto os dois são parecidos. É de aplaudir o rigor das interpretações de Feliz e Grangheia, eloquentes mesmo quando, mudos, se expressam através de gestos e expressões faciais. No fim da sessão, a plateia volta para casa entre a felicidade e a melancolia.

Teatro Poeirinha (50 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537-8053. Quinta a sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Até 25 de agosto.

Fonte: VEJA RIO