TEATRO

Inimigas íntimas

A rixa entre duas ex-confidentes serve de combustível para a divertida Obsessão

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

roteiro-teatro-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Ciúme, traição e vingança são alguns dos ingredientes fortes usados em nome da diversão no terceiro texto de Carla Faour. Obsessão, sucessor do drama Açaí e Dedos (2010) e da comédia A Arte de Escutar (2008), teve sua estrutura desenvolvida na internet. Os quinze capítulos da trama, publicados no site Drama Diário, foram enriquecidos por pitacos de leitores antes de se tornar cenas curtas do espetáculo. No palco, os atores revezam-se na narração em terceira pessoa - o recurso, típico dos folhetins, ajuda o espectador a se situar na história, contada fora da ordem cronológica e passada entre Rio e Lisboa ao longo de mais de duas décadas.

Inseparáveis na adolescência, Livia (Ana Baird) e Marina (Carla Faour) passaram a se desentender quando a primeira começou a namorar Marcelo (Antonio Fragoso). Não demora muito para Marina tapear a ex-amiga e se casar com o rapaz. Tempos depois, entra em cena um filho do casal, Leo (Daniel Belmonte), e Livia segue enrolada em longo namoro com Arthur (Celso Taddei). No recheio rocambolesco desse enredo simples entra a graça da montagem. Diálogos repletos de tiradas inspiradas e surpresas revelam um bocado sobre o caráter dos cinco personagens e a natureza de suas intenções. Henrique Tavares cuida da direção e do cenário enxuto, composto de bancos de madeira e poucos objetos. Ele acerta ao definir os tipos interpretados com características marcantes, como o riso nervoso de Marcelo e a fixação de Marina por beleza e estética. Nas mãos de um elenco eficiente, a peça é diversão despretensiosa, mas garantida.

Obsessão (80min). 14 anos. Estreou em 4/5/2012. Teatro Gláucio Gill (104 lugares). Praça Car­deal Arcoverde, s/nº, Copacabana, ☎ 2332-7904, ? Cardeal Arcoverde. Sexta a segunda, 21h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 16h (sex. a seg.). Até 4 de junho.

Fonte: VEJA RIO