TEATRO

Um pequeno notável

Paulo Mathias Jr. multiplica-se em cena e faz do monólogo O Cara uma agradável surpresa

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

roteiro-teatro-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Ex-ator mirim, dublador e diretor, Paulo Mathias Jr. cresceu ? não muito, mede 1,62 metro ? e começa a aparecer. Aos 28 anos de idade e dezenove de carreira, ele interpreta o monólogo O Cara, escrito e dirigido por Miguel Thiré. Apoiado apenas por uma cadeira e um cabide, dá vida a Getúlio Batista, um publicitário viciado em trabalho.O personagem megalomaníaco e recluso passa dias e noites ao computador, criando campanhas de propaganda, com a meta de se tornar o homem mais rico do mundo antes dos 30 anos.

Sentado à beira do palco e junto à plateia, ele ouve e cantarola antigos jingles reproduzidos em um gravador portátil, enquanto os espectadores tomam seus lugares. Nesse momento já conquista a cumplicidade do público: muitas pessoas se manifestam imediatamente ao reconhecer as músicas de comerciais. Quando apresenta o personagem principal, começa a contar sua fabulosa trajetória de sucesso até os dias de magnata. Para tanto, ele se desdobra em outros oito papéis coadjuvantes bem construídos.

Na galeria de tipos sobressaem o melhor amigo mineiro, a vizinha intrometida de meia-idade e o guru mestre de cerimônias de um spa para estressados, além de uma imitação da jornalista Marília Gabriela. Seu desempenho enérgico lembra o de Julio Adrião no sucesso A Descoberta das Américas, de Dario Fo. Responsável pela encenação, Thiré explora ao máximo os variados recursos de Mathias Jr., que esbanja técnicas de mímica, postura corporal e modulação vocal. Trata-se de uma grata surpresa.

O Cara (90min). Livre. Estreou em 1º/6/2012. Centro Cultural Justiça Federal (142 lugares). Avenida Rio Branco, 241, Centro, ☎ 3261-2550. ? Cinelândia. Sexta a domingo, 19h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Até 15 de julho.

Fonte: VEJA RIO