TEATRO

Meu Deus!

Com roteiro simples peça retrata embate terapêutico entre o divino e o humano

Por: Rafael Teixeira

JOÃO CALDAS/DIVULGAÇÃO
(Foto: Redação Veja rio)

Avaliação ✪✪✪

A psicóloga Ana (Irene Ravache) recebe, por telefone, o pedido de um horário no fim do expediente. Contrariada, cede - para sorte de toda a humanidade, como se verá na comédia da israelense Anat Gov (1953-2012). Quem aparece para a consulta é Deus (Dan Stulbach), Ele mesmo, deprimido com sua criação máxima, o homem. O Criador parece inclinado a se matar, o que resultaria no fim da raça humana, e a analista deve demovê-lo da ideia em uma sessão. À situação problemática soma-se um detalhe: Ana é ateia. Ou pelo menos assim se declara, já que, secretamente, costuma maldizer o Todo-Poderoso, em grande parte devido ao autismo do filho (Pedro Carvalho). A autora não abre muito espaço para discussões teológicas. Na trama, passa por cima de inconsistências históricas e científicas da Bíblia, tomando o livro como verdade literal. Em que pese essa simplicidade do enredo, o embate terapêutico dá margem à reflexão sobre o divino e o humano. E, mais ainda, revela-se terreno propício para boas tiradas. Em uma das melhores, a terapeuta diz ser impossível analisar Deus, já que Ele não tem mãe e, assim, não haveria em quem colocar as culpas de seus traumas. A direção de Elias Andreato, correta, abre espaço para a dinâmica entre Stulbach e Irene, ele muito bem e ela ainda melhor (80min). 12 anos. Estreou em 8/8/2014.

Teatro dos Quatro (402 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52 (Shopping da Gávea), 2º piso, Gávea, ☎ 2274-9895. → Quinta e sexta, 21h30; sábado, 19h e 21h30; domingo, 18h30. R$ 60,00 (quinta e sexta) e R$ 80,00 (sábado e domingo). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até dia 28.

Fonte: VEJA RIO