TEATRO

Memórias do sertão

Livro do jornalista Xico Sá, inspirado em sua própria infância no Vale do Cariri, serve de base para o divertido monólogo Big Jato

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Luana Muller/divulgaçÃo
(Foto: Redação Veja rio)

Um clima apropriadamente sertanejo ? simples de recursos, mas repleto de alegria ? perpassa Big Jato, monólogo cômico em cartaz no Teatro Café Pequeno. O texto é baseado no livro homônimo do jornalista Xico Sá, uma mistura de realidade e ficção livremente inspirada na infância do autor nos anos 70, passada no Vale do Cariri, no interior do Ceará. A produtora gaúcha Morgana Kretzmann se incumbe da direção e também assina a adaptação, ao lado do ator mineiro Diogo Camargos, estrela da montagem. Em cena, ele dá vida a um garoto sem nome, filho do motorista de um caminhão chamado Big Jato, destinado a esvaziar as fossas das casas sem encanamento da região. Como no texto original, o espetáculo vai compondo um mosaico de vivências do personagem: a relação com o pai em viagens na boleia do veículo, o convívio com um tio meio maluco e fã dos Beatles, as reprimendas da mãe, a parceria com o melhor amigo, o amor por uma garota. Dono de enorme carisma, tempo de humor e domínio de corpo e voz, Camargos também se desdobra em mais de uma dezena de personagens que cruzam a vida do protagonista. A direção impõe um bom ritmo ao espetáculo e explora, através de marcações inventivas, a austeridade da cenografia, bem adequada a uma história passada no sertão (55min). 18 anos. Reestreou em 15/3/2014.

Teatro Café Pequeno (80 lugares). Avenida Ataulfo de Paiva, 269, Leblon, ☎ 2294-4480. Sábado e domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (sáb. e dom.). TT. Até domingo (6).

Fonte: VEJA RIO