TEATRO

De frente com Gabriela

Texto é o ponto forte do espetáculo biográfico sobre a fundadora da grife Daspu

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪

destaque_teatro.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Em cartaz no Teatro III do Centro Cultural Banco do Brasil, o drama Filha, Mãe, Avó e P. ? Uma Entrevista é uma adaptação de Márcia Zanelatto para a autobiografia da socióloga e ex-prostituta Gabriela Leite, criadora da grife Daspu, lançada em 2009 pela Editora Objetiva. Desde o primeiro momento, o texto sobressai. Talvez para realçar este conteúdo precioso, o diretor Guilherme Leme ? também responsável pela cenografia ? tenha optado por um formato de encenação minimalista. O que se vê ao longo de uma hora de sessão é uma espécie de talk-show ao vivo. No cenário constituído de uma comprida mesa e duas cadeiras estão a intérprete da protagonista, Alexia Dechamps, e Louri Santos, que faz o papel de um jornalista. A atriz, em caracterização que a deixa muito parecida com a personagem retratada, tem uma atuação sóbria e monocórdia. Ela não altera o tom contido nem nos momentos de intensa emoção do depoimento, a exemplo da morte do pai e da perda da guarda de uma das filhas. Como o repórter, Santos oferece desempenho baseado em clichês.

O aspecto negativo da produção, de formato um tanto burocrático, é compensado pela boa história contada. Gabriela Leite teve infância e adolescência confortáveis num casarão da Vila Mariana, em São Paulo, antes de tornar-se conhecida do público após fundar a primeira associação de prostitutas do Brasil, na Vila Mimosa, em 1988. Filha de um fazendeiro produtor de café, ela estudou nos melhores colégios da capital paulista, foi leitora assídua de escritores como Machado de Assis e Gilberto Freyre e passou em segundo lugar no vestibular para a USP em 1969, onde cursou Filosofia e Sociologia. Adepta da boemia, frequentou bares da Praça Roosevelt, ficou amiga de Plínio Marcos e cantou em rodas de violão com Chico Buarque.

No embalo da liberação sexual do início dos anos 70, engravidou acidentalmente aos 21 anos e escondeu a gestação durante os nove meses. A mãe severa apoiou a filha e acolheu a neta, impondo a condição de que Gabriela abandonasse as noitadas. Foi assim durante o primeiro ano da menina, mas a jovem sucumbiu às tentações da vida noturna. Acabou expulsa de casa pela mãe, largou o emprego de secretária em uma multinacional e foi trabalhar como prostituta na região da Boca do Lixo. Nos anos 80, passou um tempo em Belo Horizonte e depois transferiu-se para o Rio. Fora da prostituição, no começo da década de 90, se tornou ativista pelos direitos das profissionais do sexo, fundou a ONG Davida e se casou com o jornalista Flavio Lenz, irmão da poetisa Ana Cristina César (1952-1983). O programa vale para quem pretendia ler o livro e não teve a oportunidade.

Filha, Mãe, Avó e P. - Uma Entrevista (60min). 14 anos. Estreou em 15/9/2011. Centro Cultural Banco do Brasil ? Teatro III (80 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎?3808-2007. →?Quarta a sexta e domingo, 19h30; sábado, 17h30 e 19h30. R$ 6,00. Bilheteria: a partir das 10h (qua. a dom.). Até dia 30.

Fonte: VEJA RIO