TEATRO

Educando Rita

Peça em cartaz no Teatro Café Pequeno é uma reflexão pertinente sobre o real sentido de educar, até na fase adulta

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Otavio Mac Niven/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Rita trabalha em um salão de cabeleireiro, namora um sujeito meio bronco e convive com pessoas que parecem confortavelmente acomodadas em sua ignorância. Ela, porém, almeja algo além dessa vidinha trivial e, para tanto, decide ter aulas com o professor de literatura Frank, cuja paixão pelos livros só encontra rival em seu apreço pela bebida. Inspirada em Pigmalião, clássico de Bernard Shaw sobre uma florista pobretona alçada a dama da alta sociedade, esta comédia à moda antiga do britânico Willy Russell tem duas camadas. Na mais rasa (mas nem por isso desprovida de atrativos), o foco está na delicada e, em vários momentos, divertida relação entre a aluna e o professor. Ela, ávida por aprender, acaba também ensinando uma ou outra coisa ao mestre, enquanto ele, cada vez mais encantado pela pupila, teme que, uma vez culta, a moça deixe de frequentar suas aulas. Para além disso, vislumbra-se uma reflexão pertinente sobre o real sentido de educar. Dirigida com sensibilidade por Claudio Mendes, a montagem em cartaz no Café Pequeno equilibra bem esses dois olhares. O maior trunfo, porém, é a sintonia do elenco: casados, Mendes e Marianna Mac Niven encarnam no palco tipos conhecidos do público, mas sem resvalar na caricatura ou na pieguice (100min). 18 anos. Estreou em 11/1/2014.

Teatro Café Pequeno (80 lugares). Avenida Ataulfo de Paiva, 269, Leblon, ☎ 2294-4480. Quinta a sábado, 20h; domingo, 19h. R$ 40,00. Bilheteria: a partir das 16h (qui. a dom.). TT. Até domingo (23).

Na telona: a peça já foi adaptada para o cinema, em 1983, com Michael Caine e Julie Walters nos papéis principais

Fonte: VEJA RIO