TEATRO

Ainda esfuziante 40 anos depois

Com uma mistura de música, humor e androginia, o grupo Dzi Croquettes revisita o passado de sucesso em Bandália, em cartaz no Teatro Clara Nunes

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

Andre Rola/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Criado nos anos 70, com o país sob a repressão do regime militar, o grupo Dzi Croquettes sacudiu o showbiz com uma mistura de música, humor e androginia. Um dos treze membros da trupe, Ciro Barcelos revisita o passado como autor e diretor de Dzi Croquettes em Bandália, em cartaz no Teatro Clara Nunes. Na trama, oito jovens atores meio desiludidos resolvem viver juntos uma experiência teatral baseada na filosofia libertária do Dzi. Para tanto, contam com a ajuda de um dos integrantes originais: Barcelos, no papel dele mesmo. Por mais merecedor de homenagens que seja o grupo, a ideia de trazê-lo para os dias de hoje esbarra em um incontornável anacronismo ? as circunstâncias sociais e políticas da época em que o Dzi fez sucesso são totalmente diferentes das do presente. Além disso, a dramaturgia é meio capenga. As ressalvas feitas não obscurecem o brilho do que realmente importa: os números musicais, interpretados com carisma, humor e impressionante vigor físico. Na trilha sonora, composições do autor dividem espaço com sucessos de Titãs e Mamonas Assassinas. Outros dois ex-Dzi estão na produção: Bayard Tonelli, no elenco, e Claudio Tovar, responsável pelos esfuziantes figurinos.

✪✪✪ Dzi Croquettes em Bandália (75min). 16 anos. Reestreou em 7/3/2013. Teatro Clara Nunes (499 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52 (Shopping da Gávea), 3º piso, Gávea, ☎ 2274-9696. Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 80,00. Bilheteria: a partir das 14h (qui. a dom.). IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até dia 31.

Fonte: VEJA RIO