TEATRO

Contrações

Espetáculo é um estudo angustiante sobre a autoanulação a que está sujeito o ser humano.

Por: Rafael Teixeira

AVALIAÇÃO ✪✪✪✪✪

luana caetano/divulgaçÃo
(Foto: Redação Veja rio)

Recém-admitida em uma empresa, a jovem Emma (Débora Falabella) é chamada ao escritório de sua gerente (Yara de Novaes). O objetivo da reunião é alertar a funcionária para uma cláusula presente em seu contrato de trabalho, segundo a qual todo relacionamento de caráter sentimental ou sexual com um empregado da firma deve ser avisado aos superiores. O que soa como uma ressalva de praxe logo se revela a deixa para um jogo de manipulação crescente, com a gerente subjugando Emma de maneira cada vez mais absurda. Escrito pelo britânico Mike Bartlett, o brilhante texto, aqui montado pelo Grupo 3 de Teatro, vai muito além de uma simples denúncia da alardeada opressão exercida pelas grandes corporações: é um estudo angustiante sobre a autoanulação a que está sujeito o ser humano. Débil para tomar decisões próprias em favor do que parece ser o melhor para os outros, Emma vai se animalizando. A direção de Grace Passô sublinha esse processo. Ao longo da peça, Débora extrai sons tribais de uma bateria, suja-se de lama e, cena a cena, vai encurvando a coluna. Integrante do grupo mineiro Espanca!, conhecido pelo arrojo cênico, a diretora imprime a sua marca - em detalhes, a exemplo da presença da equipe técnica no palco, como se fossem funcionários do escritório. Inteligentemente, porém, ela não sobrepuja o que interessa aqui: a estupenda dinâmica entre duas atrizes em estado de graça. Imperdível (80min). 14 anos. Estreou em 14/5/2014.

Centro Cultural Banco do Brasil - Teatro III (86 lugares). Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Quarta a domingo, 19h30. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 9h (qua. a dom.). Até 13 de julho.

Fonte: VEJA RIO