ROTA DE COLISÃO

Malvino Salvador estrela Chuva Constante

Ator vive um polical que entra em confronto com um amigo, parceiro de trabalho, vivido por Augusto Zacchi

Por: Rafael Teixeira

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Chuva Constante
Augusto Zacchi e Malvino Salvador: amigos e parceiros de trabalho em rota de colisão (Foto: Evandro Holabey/Divulgação)

Melhores amigos desde a juventude, Joey (Augusto Zacchi) e Denny (Malvino Salvador) estenderam essa camaradagem ao trabalho na políciade Chicago, em que são parceiros. Nem as diferenças de temperamento entre ambos — o primeiro é mais centrado, enquanto o outro é passional — parece abalar a lealdade mútua cultivada ao longo de anos. As bases desse vínculo, no entanto, escondem uma fragilidade: o solitário Joey ama secretamente a mulher de Denny, marido agressivoe infiel. Um trágico erro cometidoem uma situação de trabalho, que não convém revelar de antemão, vai pôr em xeque não apenas a amizade como a própria honra de cada um. Sucesso na Broadway, com as estrelas do cinema Daniel Craig e Hugh Jackman nos papéis dos policiais, Chuva Constante, de Keith Huff é um petardo contra o maniqueísmo: como se verá, a fleuma de Joey e a impulsividade de Denny são apenas a camada mais visível da personalidade de ambos. A direção de Paulo de Moraes valoriza a dinâmica entre Zacchi e Salvador e habilmente concilia dois polos: de um lado, a pegada altamente cinematográfica da trama e dos diálogos (não por acaso, Steven Spielberg já mostrou interesse em transformar a peça em filme), e, de outro, uma abordagem plenamente teatral, evocativa na crueza do cenário e na carpintaria dramática que costura diálogos e narrações (90min). 14 anos. Estreou em 9/10/2014.

Teatro do Leblon — Sala Marília Pêra (462 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. → Quinta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 70,00 (qui.), R$ 80,00 (sex. e dom.), R$ 90,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (qui. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 20,00, preço único). Até o dia 21.     

+ Confira outras peças em cartaz na cidade 

Fonte: VEJA RIO