TEATRO

Uma atriz cintilante

A presença de Eva Wilma como uma grande dama das artes cênicas vale o ingresso para a comédia Azul Resplendor

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

João Caldas/Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Comemorando sessenta anos de ótimos serviços prestados ao teatro (além de 80 de vida), Eva Wilma está em cartaz com uma personagem que tem algo dela própria: Blanca Estela, protagonista da comédia Azul Resplendor, atração no Teatro Ginástico, é, como sua intérprete, uma grande dama dos palcos. Mas as semelhanças param por aí. Na peça, a experiente atriz criada pelo autor peruano Eduardo Adrianzén é uma mulher amarga, afastada do seu ofício há décadas. Inesperadamente, ela é visitada por Tito Tápia (Renato Borghi, diretor da montagem ao lado de Elcio Nogueira Seixas), colega de profissão e geração, que aparece com um texto de sua autoria e o desejo de tê-la como protagonista. A princípio resistente à proposta, a atriz depois cede e aceita a missão, que terá no comando um jovem e incensado diretor, Antônio Balaguer (Dalton Vigh). Em que pese um certo maniqueísmo do texto, que opõe teatro experimental feito por e para os que se acham inteligentes e a dramaturgia tradicional realizada por quem de fato ama os palcos, a montagem resulta graciosa, muito em função da química entre os atores. Eva Wilma, como era de esperar, brilha em cena (90min). 14 anos. Estreou em 9/1/2014.

Teatro Sesc Ginástico (513 lugares). Avenida Graça Aranha, 187, Centro, ☎ 2279-4027. → Quarta a domingo, 19h. R$ 30,00 (qua. e qui.) e R$ 40,00 (sex. a dom.). Bilheteria: a partir das 13h (qua. a dom.). Até 23 de fevereiro.

Fonte: VEJA RIO