TEATRO

Shakespeare desajeitado

Nova montagem de A Megera Domada transforma a famosa peça em uma comédia de erros

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

AVALIAÇÃO: Péssimo

roteiro-teatro-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Uma das primeiras comédias de costumes de William Shakespeare, escrita em 1596, A Megera Domada acompanha as dificuldades do mercador Batista Minola para casar a filha Catarina. Moça de gênio difícil, ela não aceita ser cortejada por homem algum ? para tristeza da doce Bianca, que coleciona pretendentes, mas não pode subir ao altar antes da irmã mais velha. Em cena, os candidatos à mão de Bianca se reúnem para tentar solucionar o impasse quando aparece o forasteiro Petrúquio. De personalidade tão forte quanto a da megera, ele aceita casar-se com ela de olho no dote oferecido pelo pai.

Traduzida e adaptada por Walcyr Carrasco, com direção-geral de Renato Carrera, a montagem em cartaz no Teatro João Caetano troca a linguagem formal do original por diálogos coloquiais, com resultado frustrante. A interpretação dura e exagerada dos protagonistas ? salva-se Luiz Magnelli (o Sr. Batista) ? é outro desacerto. Marisol Ribeiro (Catarina), Bia Lula da Silva (Bianca), Oddone Monteiro (Petrúquio) e Marco Antonio Gimenez (Lucêncio, um dos pretendentes) perdem-se em cenas longas, algumas prescindíveis. No dia da estreia ainda foi difícil ouvir as falas ? as dimensões do teatro justificariam o uso de microfones individuais ?, o que também atrapalhou a fluidez do espetáculo.

A Megera Domada (100min). 10 anos. Estreou em 26/11/2011. Teatro João Caetano (1?143 lugares). Praça Tiradentes, s/nº, Centro, ☎ 2332-9257. Quinta e sexta, 19h; sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 14h (qui. a dom.). IC. Até dia 18.

Fonte: VEJA RIO