Música

Veja quais são os principais shows da semana no Rio

Lista traz de volta os Racionais, tem a estreia do Jungle e ainda o lançamento do DVD de Pedro Luis. Confira os destaques

Por: Rafael Cavalieri

racionais
Edi Rock, Ice Blue, KL Jay e Mano Brown: no Citibank Hall (Foto: Divulgação)
  • No lançamento de Bem-Vindo ao Baile, o cantor e compositor, pioneiro do soul nacional, recebe os convidados MC Marechal e Gerson King Combo.
    Saiba mais
  • Mais de 1 000 shows nos últimos dezesseis anos envolveram cerca de quarenta músicos. Na quinta (10), os cariocas terão a última oportunidade de conferir ao vivo o irresistível repertório da lendária orquestra que difundiu a riqueza musical cubana pelo mundo. Resgatado no histórico disco produzido por Ry Cooder, em 1997, e no filme dirigido por Wim Wenders, em 1999, o conjunto de grandes nomes da música da ilha dos anos 40 e 50 perdeu estrelas como os cantores Compay Segundo (1907-2003) e Ibrahim Ferrer (1927-2005), além do pianista Rubén González (1919-2003). Remanescentes da formação original, a dama da canção sentimental Omara Portuondo, o maestro e trompetista Guajiro Mirabal, o caçula Barbarito Torres, virtuose do alaúde, e o trombonista Jesús “Aguaje” Ramos despedem-se dos palcos na anunciada Adiós Tour. Com mais nove integrantes, entre eles o veterano maestro Papi Oviedo e o pianista Rolando Luna, a big band relembra clássicos como Dos Gardenias e Chan Chan, em meio a muito son, bolero e rumba com sabor de nostalgia. É bom se apressar: para alguns setores, os ingressos já se esgotaram
    Saiba mais
  • Em tributo ao pernambucano Rosil Cavalcanti (1915-1968), o cantor paraibano lança o disco Rosil do Brasil. Ao vivo, exibe sua versão para clássicos como Sebastiana.
    Saiba mais
  • Na estrada há dezoito anos, o grupo argentino cover da banda Queen traz ao Rio o espetáculo Queen Forever, em que passeia por clássicos da banda. Na pele de Freddie Mercury, Pablo Padín impressiona pela semelhança física e vocal. Corra: há poucos ingressos disponíveis.
    Saiba mais
  • O consagrado vocalista da banda Dinosaur Jr. é a principal atração do projeto Juvenilia Sessions, que conta ainda com as bandas brasileiras Churrus e The John Candy.
    Saiba mais
  • Espalhados pelos muros da cidade, cartazes gaiatos dizem que se trata do “próximo show que todo mundo vai comentar”. Há um certo exagero no aviso, mas a estreia do projeto britânico Jungle no Rio, na quinta (14), no Sacadura 154, promete fazer valer o burburinho que a precede. O coletivo criado em 2013 e liderado pelos amigos Josh Lloyd-Watson e Tom McFarland faz uma mistura original de funk e eletrônica. Depois que o clipe de Platoon, em que uma pequena dançarina de break mostra seus passos, virou viral, a dupla revelou-se — antes eram conhecidos apenas como J e T. O primeiro disco foi lançado no ano passado. Ao vivo, os líderes ganham a companhia de cinco músicos para interpretar, entre outras, Platoon, Busy Earnin’, Time e The Heat.
    Saiba mais
  • Pontuando o espetáculo com textos do ator Fernando Caruso e apoiado por um trio de músicos, o cantor lembra clássicos do rock e seus sucessos dos anos 80, como Fórmula do Amor, Sônia e Nada Mudou. 12 anos. Espaço Furnas Cultural (170 lugares). Rua Real Grandeza, 219, Botafogo, ☎ 2528-5166. Sábado (16), 20h; e domingo (17), 19h. Grátis. Distribuição de senhas a partir das 14h (sáb. e dom.).
    Saiba mais
  • Acompanhado de seu braço direito Renato Piau (violão), o Negro Gato, que acaba de voltar de uma turnê pela Europa, interpreta sucessos de carreira. Pérola Negra, Magrelinha e a canção que lhe deu o apelido estão no programa.
    Saiba mais
  • A dupla sertaneja lança no Rio o disco Acústico, com versões intimistas para hits como Domingo de Manhã.
    Saiba mais
  • Voz elegante da MPB, o cantor apresenta músicas de Autorretrato, seu mais recente disco, em que celebra trinta anos de carreira. Ao vivo, Sacramento é acompanhado por Pedro Aune (baixo), Luiz Alcofra (violão), Netinho Albuquerque (pandeiro) e Daniel Vasques (saxofone e percussão). Os ingressos podem ser retirados na bilheteria no dia do espetáculo, a partir das 18h, ou reservados pelo site www.bndes.gov.br/espacobndes. Espaço BNDES (350 lugares). Avenida Chile, 100, Centro, ☎ 2172-7447. Quinta (11), 19h. Grátis.
    Saiba mais
  • Ao lado de Paulino Dias (percussão), o cantor lança seu primeiro DVD-solo, Aposto, com participação de Zélia Duncan e, no repertório, canções como No Braseiro e Soul.
    Saiba mais
  • De volta ao Rio, a francesa Anne Carrere encarna a diva Piaf, acompanhada por quatro músicos. La Vie en Rose está no programa.
    Saiba mais
  • O grupo de rap liderado por Mano Brown, principal atração da festa Genesis, promete sucessos como Diário de um Detento, Negro Drama e Vida Loka (Parte II). Completam a noite shows do 3030 e de Filipe Ret.
    Saiba mais
  • Última semana do projeto que celebra o show histórico produzido por Hermínio Bello de Carvalho em 1965. O grupo Samba de Fato recebe na terça (12) as cantoras Ana Costa e Glória Bomfim e, no dia seguinte, Nina Wirti e Marcos Sacramento. Debates completam a programação.
    Saiba mais
  • Popularizado a partir dos anos 40, o cinema noir foi um subgênero do filme de suspense com características marcantes — os tons escuros, a narrativa pontuada por pausas dramáticas e a presença de uma femme fatale são algumas delas. Tudo isso veio junto com a inspiração para o nome do projeto musical que, iniciado em 2014, rodou o país, rendeu um disco homônimo e passa pelo palco do Solar de Botafogo de quinta (14) a domingo (17). Talentos de escolas distintas, Marcos Suzano (percussão e voz, um virtuose do pandeiro), Luís Filipe de Lima (autoridade no violão de sete cordas), Katia B (voz e guitarra, além da “fatale” presença de palco) e Guilherme Gê (teclado, um arsenal de efeitos e voz) contracenam com projeções de Batman Zavareze — nas imagens aparecem nomes como Egberto Gismonti, Jards Macalé e Arto Lindsay, que participaram do CD. Entre a programação eletrônica e o domínio técnico do quarteto, ganham versões surpreendentes composições de alta voltagem dramática, a exemplo de Volta, Aves Daninhas (ambas de Lupicínio Rodrigues), Risque (Ary Barroso), Pra que Mentir? (Noel Rosa) e Autonomia (Cartola).
    Saiba mais

Fonte: VEJA RIO