SHOWS

A bênção, Pixinguinha

Uma orquestra com trinta músicos celebra o mestre do choro no Teatro João Caetano

Por: Rafael Cavalieri

Coleção David Drew Zingg/IMS
(Foto: Redação Veja rio)

Compositor, instrumentista e arranjador, Alfredo da Rocha Vianna (1897-1973), o Pixinguinha, é um dos pilares da moderna música popular brasileira em geral e do choro em particular. Seu notório prestígio só reforça a importância da chegada das caixas de partituras Pixinguinha: Outras Pautas (R$ 150,00) e O Carnaval de Pixinguinha (R$ 90,00), publicadas pelo Instituto Moreira Salles, com organização de Bia Paes Leme, Marcílio Lopes, Paulo Aragão e Pedro Aragão. Esse último celebra os lançamentos com uma apresentação no Teatro João Caetano que se anuncia histórica: Pedro Aragão rege a orquestra Pixinguinha na Pauta, formação com trinta músicos (incluído um naipe de oito violinos), por repertório que vai das clássicas Carinhoso e Lamentos a pérolas menos conhecidas, e de ricos arranjos, como Marreco Quer Água. No conjunto reunido estão o pianista Cristóvão Bastos, o cantor Alfredo Del­Penho e o cavaquinista Jayme Vignoli, entre outros bambas. Livre.

Teatro João Caetano (1?143 lugares). Praça Tiradentes, s/nº, Centro, ☎ 2332-9257/9166. Terça (23), 21h. R$ 20,00.Bilheteria: 14h/18h (seg.); a partir das 14h (ter.). www.okingressos.com.br.

Fonte: VEJA RIO