SHOWS

Músico art déco

Com repertório focado na década de 30, o cantor e pianista Steve Ross faz duas noites no Bar do Copa

Por: Rafael Sento Sé - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Um dos principais marcos da volta por cima da economia americana no período pós-crise de 1929 foi o surgimento dos arranha-céus de Nova York, entre eles o Chrysler Building. No aniversário de 75 anos dessa joia art déco de 319 metros, em 2005, o cantor e pianista americano Steve Ross foi convidado para apresentar no hall do edifício seu repertório recheado de canções da década de 30 ? a era de ouro do movimento decorativo que inspirou o prédio.Cole Porter, Irving Berlin, Richard Rogers e Lorenz Hart são obrigatórios nos espetáculos do músico que mantém viva a tradição dos cabaret singers. Tal ligação com o período histórico traz o artista à cidade após sete anos: Ross é uma das atrações do Congresso Mundial de Art Déco, em cartaz na cidade até o próximo domingo (21). Na segunda (15) e na terça (16), senta-se ao piano Steinway de 1952 do Bar do Copa para duas noites imperdíveis. ?Ross é a personificação do art déco?, diz o especialista Márcio Roiter, organizador do congresso.

Ele abre a noite com Night and Day, de Porter, e Dancing in the Dark (Arthur Schwartz e Howard Dietz). Entre uma canção e outra, o americano costuma contar causos sobre os autores de obras-primas como Cheek to Cheek (Berlin), a exemplo do que faz há quase cinquenta anos em suas temporadas no Oak Room, no centenário Hotel Algonquin. Além de outros clássicos da canção americana, seu repertório tem Carinhoso, de Pixinguinha, com direito a sotaque carregado, e um medley dedicado a Edith Piaf. Na terça (16), o diretor de musicais Claudio Botelho é aguardado para um dueto.

Steve Ross. 18 anos. Bar do Copa (300 lugares). Avenida Atlântica, 1702 (Copacabana Palace), Copacabana, ☎ 2548-7070. Segunda (15) e terça (16), 21h. R$ 110,00.

Fonte: VEJA RIO