SHOWS

Pioneiro do jazz-rock

À frente de um quarteto, o violinista francês Jean-Luc Ponty passeia por repertório próprio no Miranda

Por: Rafael Cavalieri

Molchanovsky Alex/divulgaçÃo
(Foto: Redação Veja rio)

Filho de músicos, o artista francês teve seu talento incentivado em casa, onde foi apresentado a diversos instrumentos. Estudava violino clássico no Conservatório de Paris quando, convidado a se apresentar em um grupo de jazz formado por universitários, assumiu por um momento a clarineta e apaixonou-se pelo novo repertório. Jean-­Luc Ponty acabou construindo uma carreira sem fronteiras, reconhecido como pioneiro do jazz fusion - em 1969, antes mesmo da difusão do gênero, integrou uma animada sessão de jazz-rock no disco The Jean-Luc Ponty Experience with The George Duke Trio. Em mais de cinquenta anos de trajetória, gravou com colegas de estilos variados, a exemplo de Frank Zappa, Elton John, Al Di Meola e Stanley Clarke. De volta ao Rio, o violinista leva seus instrumentos elétricos de cinco e seis cordas ao palco do Miranda na sexta (6). Aos 71 anos, Ponty divide o show com Wil­liam Lecomte (teclados), Baron Browne (baixo) e Rayford Griffin (bateria). Composições próprias, como Mirage e New Country, estão garantidas no repertório. 16 anos.

Miranda (225 lugares). Avenida Borges de Medeiros, 1424 (2º piso), Lagoa, ☎ 2239-0305. Sexta (6), 20h. R$ 140,00 a R$ 200,00. Bilheteria: 12h/18h (seg.); 12h/21h (ter. a qui.); a partir das 12h (sex.). IC. www.mirandabrasil.com.br.

Fonte: VEJA RIO